Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/932
Título: Análise dos assobios emitidos por golfinhos-roazes (Tursiops truncatus) em cativeiro
Autor: Silva, Inês de Melo
Orientador: Santos, Manuel Eduardo dos
Palavras-chave: Etologia
Comportamento animal
Comportamento social
Golfinhos
Estimulação auditiva
Comunicação
Ethology
Animal behaviour
Social behaviour
Dolphins
Auditory stimulation
Communication
Data de Defesa: 1998
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: O estudo foi realizado com um grupo de oito golfinhos-roazes no Zoomarine (Algarve). Os sons foram recolhidos utilizando-se um hidrofone Bruel &Kjaer 8103, um amplificador e um gravador DAT Sony TCD 10-PRO. Os sons foram recolhidos nos primeiros 15 minutos de cada hora, desde as 9h às 19h. Simultaneamente, procedia-se à descrição dos comportamentos exibidos pelos golfinhos. Recolheram-se também os sons e os comportamentos de três espectáculos, nos quais se registaram os primeiros 15 minutos, os 30 minutos de duração e os 15 minutos posteriores. Os assobios foram os sons mais abundantes (47% da amostra total) e a sua emissão foi concordante ao longo dos dias de amostragem, em cada hora do dia. A todas as horas do dia, a natação foi o comportamento mais abundante, seguindo-se o repouso, mas a uma frequência bastante mais baixa. A interacção com os treinadores apresenta dois picos de actividade (às l0h e 18h), em simultâneo com a alimentação. Os assobios são mais abundantes em situações em que há interacção entre os golfinhos e os treinadores e situações de alimentação, durante a qual, por vezes, existiam sessões de treino. Na amostra de assobios categorizados (1755), a sua duração média é inferior a 1 segundo, sendo a maior parte dos assobios (n=768) inferiores a 300ms. Quanto à frequência, os valores médios encontram-se entre os '5 e os 15 kHz, típicos destes sinais acústicos. Os pares de "frequência inicial" e "frequência mínima", "frequência final" e "frequência máxima” e "frequência inicial" e "frequência final" estão correlacionados. Foram encontrados 15 categorias de perfis de modulação de frequência, entre os quais a categoria n° 9 (em forma de U, 22.67%) foi a mais abundante. Somente 4 categorias possuíam loops, cujo número médio foi de 3 loops por assobio. As várias categorias de perfis de modulação foram emitidas mais abundantemente durante situações de interacção, quer entre os golfinhos quer com os treinadores, bem como em contextos de jogo não social. Todos os golfinhos participaram na emissão dos diversos perfis de modulação de frequência. Tanto o Happy como o King parecem emitir em maior abundância os perfis n° 2, 3, 5 e 10. A Missy emite mais o perfil n° 6, enquanto a Colby produz mais assobios com os perfis 7, 8 e 10. Para o perfil n° 11, a Cher emite-o em maior abundância, bem como o perfil n° 8. Já o Sam e o Lucky parecem produzir, mais que o esperado, o perfil n° 9.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Etologia
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/932
Aparece nas colecções:PBIO - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM SILV-I1.pdf8,96 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.