Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/892
Título: Estilos de liderança transformacional / transaccional e padrões de inteligência emocional na gestão de enfermeiros hospitalares
Autor: Santos, Engrácia Maria Duarte dos
Palavras-chave: Comportamento organizacional
Liderança
Estilo de liderança
Inteligência emocional
Enfermeiras
Ambiente hospitalar
Instrumentos
Personalidade
Organizational behaviour
Leadership style
Leadership
Emotional intelligence
Nurses
Hospital environment
Instruments
Personality
Data de Defesa: 2005
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: O presente estudo debruçou-se sobre as áreas da liderança transformacional e transaccionai e IE dos Enfermeiros gestores hospitalares e foi realizado nos Hospitais públicos de Santa Maria e de São José, no Hospital privado da Cruz Vermelha e no Hospital Garcia de Orta SA em 2005, com um método quantitativo de design correlacionai, exploratório e transversal. A amostra foi constituída por 71 Enfermeiros gestores participantes provenientes em 61% de Hospitais de Gestão Pública, 31% de um Hospital com Gestão de Sociedade Anónima e somente 8% da amostra de um Hospital de Gestão Privada. Quanto ao método utilizado para seleccionar a amostra foi não probabilístico constituído por uma amostragem por intenção. Em relação às variáveis abordadas neste estudo constam como independentes: a idade, o grau de escolaridade, a função organizacional, o tipo de gestão organizacional, a experiência profissional, o grau de antiguidade na função, as competências emocionais e como variável dependente as características de liderança transformacional e transaccionai dos enfermeiros da área de gestão hospitalar. O instrumento de colheita de dados utilizado para laborar estas variáveis foi um questionário estruturado em 3 conteúdos: caracterização demográfica, competências emocionais e tipo de liderança. O primeiro da autoria do investigador e os restantes dois conteúdos respectivamente da autoria de Schutte et al. (a "Emotional Schutte's Inventory", 1998) e de Bass & Avólio (o "Multifactor Leadership Questionnaire 5x ", 2004), compostos essencialmente por perguntas fechadas utilizando uma escala de 5 respostas gradativas tipo Likert. O tratamento e análise dos dados foram desenvolvidos com base na estatística descritiva, inferencial e multivariada (análise factorial e regressão múltipla) através de programas informáticos como o SPSS, Excel e Word. Sumariamente se conclui que de uma forma geral os Enfermeiros gestores hospitalares participantes em média aplicam mais no seu quotidiano de gestão a uma liderança mista de transformacional/transaccional (30%) do que a puramente transformacional (14,36%) e pouco se auxiliam da liderança laissez -faire (7,07%) do valor total máximo possível de se obter nas escalas. Quanto ao seu score geral de IE apresentam em média um bom valor, com um média total 108,49 valores acima da média esperada (72,5) para a escala de ESI. Quanto há relação existente entre os factores demográficos com os scores dos factores da ESI e do MLQ apresentados pelos Enfermeiros gestores hospitalares participantes depreendeu-se especificamente que relativamente ao género existem similares scores gerais constituídos por diferentes valores dispersos pelos distintos scores dos factores da ESI e do MLQ e que não existe nenhuma variância estatística significativa em todos os scores dos factores da ESI/MLQ relativamente ao género, idade, habilitações literárias e anos de experiência de gestão, bem como qualquer correlação estatística significativa na predição de que X ou Y variáveis demográficas aumentavam ou diminuem os scores geral dos factores de ESI e de liderança transformacional pela não significância dos modelos de regressão múltipla obtidos. No que concerne há relação entre as características de liderança transformacional e transaccionai dos Enfermeiros gestores hospitalares e as suas competências emocionais chegou-se à conclusão transversalmente a regressões múltiplas tipo enter de que o score de liderança transformacional tinha uma relação linear positiva e significativa (R2 = 0,400 e p - value < 0,01) ordenadamente com as variáveis dos scores dos factores 1 (compreensão, análise e utilização do conhecimento emocional) e 3 (facilitação emocional e sua utilização na gestão das emoções dos outros/ atribuição de actividades cognitivas de reforço emocional) da ESI. Assim como o score geral da ESI tinha uma relação linear positiva e significativa (R = 0,367 e p - value < 0,01) ordenadamente com as variáveis do score de liderança transformacional/transaccional (0,313), do score de liderança transformacional (0,154) e do score de liderança laissez -faire (0,037) do MLQ.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Comportamento Organizacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/892
Aparece nas colecções:PORG - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM SANT-EM1.pdf11,79 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.