Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/889
Título: Função eréctil e qualidade de vida em homens portugueses
Autor: Santos, Abel Manuel de Matos Alves dos
Orientador: Ribeiro, José Luís Pais
Palavras-chave: Psicologia da saúde
Qualidade de vida
Instrumentos
Sexualidade
Comportamento sexual
Erecção do pénis
Avaliação
Impotência
Health psychology
Quality of life
Sexuality
Sexual behaviour
Erection penis
Assessment
Impotence
Data de Defesa: 2001
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: O objectivo do estudo, foi o de avaliar a relação entre a Função Eréctil (FE) e as dimensões de Qualidade de Vida (QDV), numa amostra de conveniência de 133 homens da área da grande Lisboa. Foram aplicados aos sujeitos questionários de auto-preenchimento, anónimos e confidenciais, o SF-36 (36-Item Short Form Health Survey) e o UFE (Índice Internacional da Função Eréctil), respectivamente recomendados pela Organização Mundial de Saúde e pela Sociedade Europeia para o Estudo da Impotência. Sujeitos apresentam uma idade mediana de 42 anos (21 aos 78 anos de idade), e nível de académico apresentando uma mediana de 13 anos de escolaridade (desde os 4 aos 21 anos de escolaridade). Após metodologia estatística não paramétrica, os resultados do SF-36 apresentam níveis globais elevados de Desempenho Físico, Desempenho Emocional e Função Física, com uma diminuição significativa ao longo da idade da Função Física (p<0,01), da Saúde Geral (p<0,05) e do Desempenho Físico (p<0,05). Não foram encontradas diferenças significativas entre o nível de escolaridade e as dimensões de QDV avaliadas. Os resultados do UFE, apresentam globalmente, uma Função Eréctil com um resultado compatível com Disfunção Eréctil (DE) ligeira, uma função orgásmica bastante elevada, um nível bom de Desejo Sexual, uma Satisfação na Relação Sexual não muito satisfatória, e uma Satisfação Sexual Global satisfatória, mas não muito elevada. A Função Eréctil apresenta uma diminuição significativa ao longo da idade (p<0,01), atingindo uma classificação de disfunção eréctil moderada no grupo etário com mais de 65 anos. Não se verificam diferenças significativas entre as dimensões do DGFE e o nível de escolaridade. A prevalência de DE na amostra é de 8,3% com DE grave, de 5,3% com DE moderada, de 50,4% com DE ligeira, e de 36,1% sem DE. Correlações entre os dois instrumentos, revelam que a FE se correlaciona fortemente e de modo directo com a Saúde Geral (p<0,0001), Função Física (p<0,001) e Desempenho Físico (p<0,01). A Função Orgásmica está relacionada com a Função Social, Vitalidade, Saúde Mental, Desempenho Físico e Saúde Geral (p<0,05). O Desejo Sexual relaciona-se de forma directa cora a Saúde Geral e a Função Física (p<0,05). A Satisfação com a Relação Sexual não se relaciona com qualquer dimensão do SF-36. A Satisfação Global com a Vida Sexual relaciona-se fortemente com todas as dimensões do SF-36, excepto a Função Física. As dimensões de QDV estão globalmente positivas ao nível da componente física, piorando com o avançar da idade, enquanto as dimensões mentais estão mais baixas, mas mantêm-se estáveis ao longo dos anos, mesmo com deterioração da condição física. A FE só se correlaciona com dimensões físicas do SF-36 e uma pior FE está associada a uma pior condição física, afectando a QDV dos homens estudados. Assim, uma boa sexualidade tende a melhorar a QDV dos sujeitos, devendo a avaliação da função sexual ser transversal a todos os estratos socioculturais e etários, neste último com principal enfoque nos mais velhos.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia da Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/889
Aparece nas colecções:PSAU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM SANT-AM1.pdf7,24 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.