Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/847
Título: Compreensão da leitura: Desempenho em alunos surdos severos e surdos profundos no final do 1º ciclo do ensino básico
Autor: Reis, Maria João Rodrigues de Sá
Palavras-chave: Psicologia educacional
Surdos
Leitura
Idade escolar
Instrumentos
Aprendizagem
Ensino
Educational psychology
Deaf
Reading
School-age children
Instruments
Learning
Teaching
Data de Defesa: 2007
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: A leitura é uma área crucial no processo educativo de crianças surdas na medida em que estas se encontram privadas de aceder por via auditiva à informação, veiculada numa sociedade maioritariamente ouvinte pela linguagem oral. Para as crianças surdas a possibilidade de desenvolvimento de capacidades literácitas parece estar dependente de : (i) compreensão e aquisição do sistema alfabético e de componentes morfofonológicas; (ii) aprendizagem e conhecimento de outras componentes linguísticas (lexicais e sintácticas); (iii) organização e activação de conhecimentos prévios; (iv) monitorização metacognitiva da leitura. Anteriores a estas, competências emergentes da leitura são igualmente cruciais: compreensão da função, utilidade, organização e convenções da escrita. O objectivo central deste trabalho é o de caracterizar o desempenho em leitura, de compreensão da leitura, em alunos surdos severos e surdos profundos, no final do 1o ciclo do Ensino Básico, por referência aos objectivos e competências essenciais definidos para a Língua Portuguesa, para este ciclo de escolaridade. A população envolvida correspondeu ao universo dos alunos a frequentar o 4o ano de escolaridade em estabelecimentos de ensino público de referência de Unidades de Apoio à Educação de Crianças e Jovens Surdos (Despacho n°7520/98), do território continental português, no ano lectivo de 2000/2001, num total de 77 sujeitos. O instrumento concebido para este estudo, prova de leitura, visou, por um lado, a obtenção de indicadores de desempenho global em leitura e por outro, por referência aos objectivos curriculares definidos no programa em vigor, a identificação de desempenhos em diversos itens, respeitantes a competências específicas de leitura. Na elaboração da prova consideraram-se aspectos estruturais, respeitando-se a matriz da Prova de Aferição de Língua Portuguesa do 4o ano de escolaridade (1999/2000) e aspectos linguísticos inerentes à população em estudo. A definição das variáveis independentes prendeu-se com as características da população que pensamos poderem estar relacionadas com os desempenhos, contribuindo assim, para a sua explicação enquanto variável dependente e com as questões de investigação por nós levantadas. A análise dos resultados foi feita através de análises de variância (ANOVA). Independentemente do efeito das variáveis, constatámos que os resultados globais correspondem a uma taxa de aproximadamente 37% de provas com pontuações iguais ou inferiores ao valor médio de cotação da prova. A análise dos desempenhos por itens permite-nos concluir que: (i) os sujeitos surdos severos, os sujeitos mais novos e os sujeitos com comunicação oral são os que melhores desempenhos obtêm; (ii) a generalidade dos sujeitos apresenta melhores desempenhos nos itens que remetem para competências de compreensão literal do escrito. Este último dado permite-nos dizer que o desempenho em leitura em alunos surdos severos e surdos profundos é qualitativamente semelhante ao encontrado em estudos realizados anteriormente com populações ouvintes. Os resultados deste estudo apontam para uma clara relação entre os diferentes factores, correspondentes às características intrínsecas dos sujeitos: idade, grau de surdez e modo de comunicação. Por sua vez, as categorias correspondentes a cada factor (idade igual ou inferior a 10 anos e idade igual ou superior a 11 anos; surdez severa e surdez profunda; modo de comunicação oral e modo de comunicação gestual (LGP ou gesto natural) interagem definindo padrões de resposta. Em termos globais, independentemente da análise das interacções entre variáveis, concluímos que: (i) os sujeitos surdos severos apresentam melhores desempenhos do que os surdos profundos; (ii) os sujeitos mais novos, com idade igual ou inferior a 10 anos, apresentam melhores desempenhos do que os mais velhos, com idade igual ou superior a 11 anos; (iii) os sujeitos com comunicação oral apresentam melhores desempenhos do que os com comunicação gestual, sendo os que comunicam predominantemente através do gesto natural os que piores desempenhos apresentam. Em crianças surdas, actividades que conduzam à possibilidade de compreender e utilizar sistemas de codificação interna que possibilitem processar fonologicamente a informação escrita deverão assumir papel preponderante no processo de ensino da linguagem escrita. Actividades de pré e de pós leitura, enfatizando nestas últimas a ligação entre a leitura e a escrita como um contínuo de linguagem, aliadas a tarefas de auto-monitorização, fazendo recurso a estratégias metacognitivas, contribuirão para o desenvolvimento de competências de leitura, potencializadora de um pensamento flexível e crítico, contribuirão, enfim, para a construção de um pensamento literácito em crianças e jovens surdos.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/847
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM REIS-M1.pdf7,85 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.