Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/840
Título: Era uma vez... uma visita ao oceanário: Efeitos do tipo de discurso e produção escrita na recordação de crianças dos 9 aos 11 anos de idade
Autor: Rebelo, Sally Franco
Palavras-chave: Psicologia educacional
Escrita
Idade escolar
Narrativa
Desenvolvimento
Memória
Análise de decisão
Psicologia cognitiva
Educational psychology
Writing
School-age children
Narratives
Development
Memory
Discourse analysis
Cognitive psychology
Data de Defesa: 2004
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: O presente estudo teve como objectivos averiguar se o tipo de discurso, narrativo ou descritivo e a execução de uma produção escrita, influenciavam a retenção/recordação de informação em crianças dos 9 aos 11 anos de idade, sobre o acontecimento de uma visita ao Oceanário de Lisboa. A situação experimental englobou uma amostra de 108 crianças, entre os 9 e os 11 anos de idade, provenientes de 4 escolas do Io Ciclo do Ensino Básico. A divisão desta amostra processa-se do seguinte modo: 1 Grupo Narrativo, 1 Grupo Descritivo e 1 Grupo Sem Verbalização. Distinguindo-se dentro de cada grupo, dois subgrupos, pela execução ou não de produção escrita após o acontecimento, prefazendo um total de 6 subgrupos independentes e equivalentes com 18 crianças cada. O mesmo acontecimento foi apresentado de três modos diferentes aos três grupos. A um dos grupos o acontecimento foi acompanhado de uma verbalização do tipo narrativo, a outro a mesma informação foi apresentada de forma descritiva e ao terceiro grupo não foi dada essa informação. Ocorrem três momentos de recolha de dados, onde foi pedido às crianças através da recordação livre, informação respeitante ao acontecimento. Os três momentos são: a Produção Escrita - logo após o acontecimento (a apenas três dos subgrupos), o Io Pós-teste - logo após o acontecimento, e o 2o Pós-teste - uma semana após o acontecimento. As quatro hipóteses de investigação colocadas incidiam sobre a influência da verbalização, o tipo de discurso apresentado e a existência de produção escrita, na quantidade de informação retida/recordada pelas crianças. Assim, esperava-se que as crianças que recordassem mais informação fossem: as sujeitas à verbalização; ao tipo de discurso narrativo; que efectuassem uma produção escrita e ainda a conjugação do tipo de discurso narrativo com a produção escrita. A análise estatística teve como base os testes: Mann Whitney, Wilcoxon e Anova Oneway. Os resultados corroboraram as quatro hipóteses colocadas inicialmente, revelando que as crianças cujo acontecimento foi acompanhado de verbalização, foram as que mais informação recordaram. Ocorrendo o mesmo quando o discurso era do tipo narrativo. Comprovando-se ainda que a produção escrita facilitou a recordação e mais ainda se associada ao tipo de discurso narrativo. Os resultados sugerem que a verbalização, em especial o tipo de discurso apresentado influencia a organização da memória das crianças. Os desempenhos dos três grupos de crianças revelaram-se muito diferentes, tendo as crianças de verbalização narrativa mais beneficiado do tipo de discurso na recordação do acontecimento. A produção escrita revelou-se também benéfica no desenvolvimento e reorganização do pensamento. Este estudo pretende contribuir para realçar a importância da apresentação de informação em experiências de vida, de modo que as crianças possam beneficiar em pleno das informações que lhes são transmitidas.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/840
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM REBE-S1.pdf7,24 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.