Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/836
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorPeixoto, Francisco José Britopor
dc.contributor.authorRavara, Patícia Castanheira-
dc.date.accessioned2011-09-03T14:08:07Z-
dc.date.available2011-09-03T14:08:07Z-
dc.date.issued2005-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10400.12/836-
dc.descriptionDissertação de Mestrado em Psicologia Educacionalpor
dc.description.abstractAo debruçarmo-nos sobre os resultados académicos é fundamental ter presente a influência de múltiplas variáveis que os podem condicionar. Dessas destacam-se a relação familiar, a motivação e o autoconceito. Neste estudo pretendemos estudar a relação entre essas variáveis. Primeiramente é feita uma análise, tendo sempre a relação familiar como ponto central. Para tal foram aplicadas três escalas que visam avaliar essas variáveis: Escala de Percepção da Relação com a Família, Escala de Motivação de Skaalvik e Escala de Autoconceito. A avaliação foi feita em dois momentos por forma a verificar se existia continuidade dos resultados obtidos. Verificou-se quais as correlações mais significativas entre relação familiar e motivação, relação familiar e autoconceito e relação familiar e resultados académicos. Com vista a analisar a relação entre todas as variáveis, foi construído um modelo hipotético posteriormente testado, onde é possível verificar de que forma as diferentes variáveis se relacionam ou exercem efeito entre si. Os resultados evidenciam a influência da relação familiar sobre a orientação motivacional para a tarefa, sobre a auto-estima e sobre o autoconceito global, particularmente ao nível das dimensões aceitação social, aparência física, comportamento e competência escolar. Verificámos também que a percepção da relação familiar influi no autoconceito académico e nos resultados académicos. Foi ainda permitido constatar algumas diferenças significativas entre os resultados dos 7º e 9º anos. A relação familiar parece ter um papel mais significativo para adolescentes mais jovens, uma vez que a sua influência na motivação, autoconceito e resultados escolares do 9o ano é substancialmente inferior. De um modo geral, foi comprovada a ligação existente entre a relação familiar e as diferentes variáveis em estudo, concluindo-se a importância do papel familiar na realização escolar dos estudantes.por
dc.language.isoporpor
dc.publisherInstituto Superior de Psicologia Aplicadapor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectPsicologia educacionalpor
dc.subjectDesempenho académicopor
dc.subjectFamíliapor
dc.subjectMotivaçãopor
dc.subjectAuto-conceitopor
dc.subjectInstrumentospor
dc.subjectEducational psychologypor
dc.subjectSchool achievementpor
dc.subjectFamilypor
dc.subjectMotivationpor
dc.subjectSelf-conceptpor
dc.subjectInstrumentspor
dc.titleA relação familiar e o desempenho académico: Estudo das relações entre percepção da relação familiar, motivação, autoconceito e resultados académicos em alunos do 7º e 9º anos de escolaridadepor
dc.typemasterThesispor
degois.publication.locationLisboapor
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM RAVA1.pdf7,52 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.