Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/830
Título: Constelações motivacionais dos patrões (empreendedores) portugueses 1988-1991
Autor: Ramitos, Célia de Jesus Félix Madeira
Orientador: Pereira, Orlindo Gouveia
Data de Defesa: 1994
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: Esta dissertação é uma descrição das constelações motivacionais subjacentes ao discurso dos empresários portugueses no "Ranking actual" (Julho, 1992). Este estudo situa-se no âmbito da investigação em Psicologia das Organizações. O modelo psicológico de referência é em particular, a Teoria da Motivação de McClelland, Atkinson e colaboradores. No contexto organizacional, esta teoria conhece um desenvolvimento bastante significativo, a consubstanciá-lo encontramos os estudos sobre as constelações motivacionais dos empreendedores por Bludau (1976), Wainer e Rubin (1971), Terhune (1968), Andrews (1967), Kock (1965, 1974), bem como os estudos de Bradburn et al. (1960) comparando os níveis de Motivos entre Empreendedores e Profissionais em quatro países, e ainda a comparação de Managers do sector Público e Privado. Mais recentemente, Miner et al. nos seus trabalhos dão um novo enfoque à teoria da Motivação, demarcando-se já dos trabalhos atrás citados. Desenvolvo este trabalho em quatro capítulos. No Capítulo I abordo de forma sumária os trabalhos sobre as constelações motivacionais, os níveis de motivação dos empreendedores e profissionais em quatro países -Estados Unidos, Itália, Turquia e Polónia -, em empresas públicas e privadas, e finalmente as abordagens que "contrariam" o modelo de McClelland. Na análise dos motivos verifica-se que cada sujeito apresenta um valor inflaccionado num dos motivos e os outros dois apresentam valores mais baixos (Terhune, 1970). Os sujeitos fortemente motivados para o êxito são cooperantes e têm preferência pela negociação, sendo menos voltados para a ameaça. Os sujeitos fortemente motivados para o poder, mostram um comportamento ambivalente, com tendência à competição (Bludau, 1976). Um motivo de êxito alto combinado com um motivo de afiliação baixo encoraja ao sucesso económico, enquanto a força do motivo de poder é, aparentemente irrelevante (Litwin e Stringer, 1968). Kock (1965,1974) predisse o destino de alguns grandes negócios com base na constelação de motivos de êxito e de poder altos combinados com um motivo de afiliação baixo. Percorrem-se alguns estudos sobre diferenças nos níveis de motivação entre empreendedores e profissionais em quatro países em empresas públicas e privadas. Os empreendedores têm um valor de êxito mais alto do que os profissionais excepto na Turquia. Então, neste período em estudo, com a excepção da Turquia, os dados acerca dos níveis de motivo de êxito dos empreendedores de vários países está de acordo com a hipótese geral de que os níveis de valor de motivo de êxito reflectem a determinação para o avanço económico entre os grupos da elite responsáveis pela administração da economia de um país. Relativamente à questão dos níveis de motivação para o êxito no sector privado/pú¬blico, não há provas de que o sucesso empresarial esteja associado a um valor de motivo de êxito alto no sector público à excepção de situações em que os empresários públicos possam ser todos funcionários públicos. O ponto crucial, não é tanto se se trabalha no sector público ou privado, mas sim o tipo de indivíduo que trabalha em cada sector. Basicamente, pode-se defender que o valor de motivo de êxito, promove o sucesso apenas quando o emprego promove algum desafio ou risco, ao qual o indivíduo pode responder com actividades próprias para a resolução de problemas. A teoria de tarefa (Miner at al., 1981) dá mais ênfase ao conceito de função, em detrimento da motivação individual de êxito. No entanto, existem diferenças na motivação a favor dos empreendedores (Beller at al., 1989). No capítulo II descrevo a amostra. Incluem-se nela os patrões portugueses (anexo 1) seleccionados a partir dos discursos disponíveis para cotar. Foram seleccionados 21 empresários, que são representativos de algumas regiões do país. As principais modificações do sistema original de cotação foram introduzidas por Donley (1968), Donley e Winter (1970), Winter e Stuart (1971) e Hermann (1980a, 1980b), para a cotação de discursos políticos. Foram apurados os quatro motivos por conjuntos de 1000 palavras por dois juízes. No capítulo III apresento os resultados das constelações motivacionais empresário a empresário, comparativamente com o lugar ocupado no ranking. Procedo a uma análise de Clusters, o método utilizado é o hierárquico aglomerativo, uma vez que o processamento é feito através do "package" estatístico SPSS. No capítulo IV discuto os resultados obtidos. Através da análise de Clusters, encontramos quatro grupos. No primeiro temos dez sujeitos, com elevado êxito, seguido da inibição da acção, poder e afiliação a um mesmo nível. Três sujeitos com alto motivo de êxito, seguido da inibição, poder e mais baixa afiliação. Dois sujeitos com mais alto motivo de êxito, inibição da acção, afiliação e poder mais baixo. Um sujeito com elevado motivo de êxito, elevada afiliação, inibição e poder mais baixo. É de referir que todos os sujeitos apresentam um mais alto motivo de êxito, o que indica uma perspectiva de desenvolvimento económico futuro (apesar da conjuntura ser recessiva). Embora não se tenha propriamente procurado uma amostra representativa das regiões, verificamos o Norte mais desenvolvido do que o Sul, tal como em outros países. Os empresários representativos de Lisboa e Grande Lisboa, considerados no ran-king, encontram-se na terceira constelação (Clusters). Os empresários representativos do Porto e Grande Porto, situam-se na primeira e segunda constelações. Relativamente ao Sul (Norte Alentejano) temos uma constelação diferente, com elevado sucesso, seguido da afiliação, inibição e poder. Os indivíduos que ocupam os primeiros lugares do ranking, era suposto obterem a seguinte constelação: elevado êxito, poder, inibição e mais baixa afiliação, o que não se verifica inteiramente.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Comportamento Organizacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/830
Aparece nas colecções:PORG - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM RAMI1.pdf7,74 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.