Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/829
Título: Qualidade de vida, suporte social e satisfação sexual em mulheres com incontinência urinária
Autor: Raimundo, Alexandra Chaves Ribeiro Assis
Orientador: Ribeiro, José Luís Pais
Palavras-chave: Psicologia da saúde
Suporte social
Qualidade de vida
Satisfação sexual
Mulheres
Incontinência urinária
Instrumentos
Health psychology
Social support
Quality of life
Sexual satisfaction
Women
Urinary incontinence
Instruments
Data de Defesa: 2003
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: O presente estudo foi concebido com o objectivo de, junto da população feminina com Incontinência Urinária, averiguar quais as relações entre níveis de Qualidade de Vida, Suporte Social, Satisfação Sexual e Grau de Incómodo com a IU, bem como identificar Variáveis de Doença e Variáveis Demográficas que possam influenciar estas relações, e de que forma. Trata-se, portanto de um estudo de carácter exploratório e correlacionai. Pareceu-nos pertinente apresentar uma introdução acerca de cada um dos temas em estudo (Qualidade de Vida, Suporte Social, Satisfação Sexual e Incontinência Urinária) tentando abordá-los quer individualmente, quer na sua vertente de relação uns com os outros, sempre que possível. A amostra é composta por participantes do sexo feminino que sofrem de Incontinência Urinária, e cuja média de idades é de 60,15 anos, às quais foi solicitado o preenchimento de um protocolo constituído por um "Questionário Demográfico", uma escala de Qualidade de Vida (SF-8), uma escala de Suporte Social (ESSS), uma escala de Satisfação Sexual (SEAR Questionnaire) e uma escala específica para a Incontinência Urinária (Grau de Incómodo com a Incontinência Urinária - UDI-6). Registaram-se bons níveis de correlação entre a Qualidade de Vida e todas as outras Variáveis Principais, mas o Grau de Incómodo com a Incontinência Urinária não se correlacionou, pelo menos directamente, com o Suporte Social nem com a Satisfação Sexual. Identificaram-se também, algumas Variáveis de Doença (Duração da Incontinência Urinária; Frequência de Episódios de Incontinência Urinária; Aparecimento de Episódios de Incontinência Urinária; Percepção do Grau de Incontinência Urinária; história de Infecção Urinária nos últimos dois anos; Outros problemas de Saúde; e quantidade de Sintomas) e Variáveis Demográficas (Idade; Profissão; Escolaridade; Estado Civil; N ° de Gravidezes; Vida Sexual Activa; Frequência de Relações Sexuais) que se apresentaram como influentes nesta temática, produzindo efeitos (ao nível da comparação de médias e/ou ao nível correlacionai) em nas Variáveis Principais. Apesar de este ser um estudo exploratório, alertamos para a importância de alguns dos resultados encontrados, tendo em conta as Variáveis Principais: o Grau de Incómodo inerente à Incontinência Urinária correlaciona-se negativamente com a Qualidade de Vida, mas não com o Suporte Social e a Satisfação Sexual (pelo menos directamente); o Suporte Social, correlaciona-se positivamente com a Qualidade de Vida (principalmente com o Componente Mental) e com a Satisfação Sexual (só no Domínio da Confiança); a Satisfação Sexual correlacionou-se positivamente com a Qualidade de Vida (acima de tudo, com o Componente Mental). Também no que respeita a Variáveis Secundárias (Variáveis de Doença e Demográficas), foram encontrados resultados interessantes, nomeadamente: a existência de outros problemas de saúde, de história de infecção urinária nos últimos dois anos, a escolaridade, a profissão e a frequência de relações sexuais demonstraram ser importantes para a Qualidade de Vida; o suporte Social sofreu influência de aspectos como a duração da incontinência urinária, a existência de infecção urinária, outros problemas de saúde, a quantidade de sintomas relatados, a escolaridade, o n ° de gravidezes, a vida sexual activa e a frequência de relações sexuais; a Satisfação Sexual viu-se influenciada pela idade, profissão, escolaridade, frequência de relações sexuais, duração da incontinência urinária e altura do aparecimento de episódios de incontinência urinária; finalmente, a existência de história de infecção urinária e a percepção do grau de incontinência urinária, foram as variáveis secundárias que se associaram à Incontinência Urinária (Grau de Incómodo).
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia da Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/829
Aparece nas colecções:PSAU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM RAIM1.pdf8,8 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.