Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/828
Título: Estratégias de coping e estima de si: Estudo comparativo para os estudantes da Universidade do Algarve com e sem recurso à acção social
Autor: Rafael, Maria da Graça Ferreira
Orientador: Leal, Isabel Pereira
Palavras-chave: Estratégias de coping
Psicologia
Estudantes universitários
Auto-estima
Stress
Instrumentos
Suporte social
Coping behaviour
Psychiatry
College students
Self-esteem
Instruments
Social support
Data de Defesa: 2006
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: No presente estudo procurou-se compreender como se caracterizam do ponto de vista psicossocial, os estudantes universitários que recorrem aos Serviços de Acção Social, em comparação com os estudantes que não recorrem. O presente estudo realizado com uma amostra global de 201 estudantes de ambos os sexos, a frequentar diferentes cursos da Universidade do Algarve, teve como objectivo geral verificar se existem diferenças nas estratégias utilizadas em situações de stress e no índice da estima de si, entre os estudantes que recorrem aos serviços de acção social para a obtenção de benefícios sociais comparativamente aos que não recorrem a estes serviços de apoio. Pretendeu-se igualmente verificar se existem diferenças nas estratégias e na estima de si entre os estudantes que são forçados a sair do seu meio sócio-familiar de origem, para irem estudar para a universidade e os que se mantém inseridos no seu sistema familiar e social. Para tal, utilizou-se um protocolo de investigação composto por uma Caracterização Sócio-Demográfica e dois questionários: a Escala Toulousiana de Coping - ETC, (Esparbès, Sordes-Ader & Tap, 1993) e a Escala de Estima de Si de Rogers - EES, (Rogers, e Dymond, 1954). Os resultados demonstraram a existência de diferenças entre os grupos de estudantes em análise, quer ao nível da estima de si quer ao nível das estratégias de coping utilizadas. Para além disso, verifica-se que os estudantes que apresentam um maior índice de estima de si, utilizam mais estratégias de coping positivas e de carácter adaptativo. Esta relação é claramente evidenciada nos estudantes que se encontram deslocados do seu ambiente sócio-familiar, os quais com a entrada na universidade, sofrem todo um processo de autonomização e de desenvolvimento pessoal o qual se reflecte quer na forma como se concretizam as estratégias de coping adoptadas, quer na influência que o coping tem, no índice de estima de si.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Relação de Ajuda
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/828
Aparece nas colecções:PCLI - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM RAFA-M1.pdf5,26 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.