Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/812
Título: Militares e o alcoolismo e a toxicodependência: Representações sociais na marinha
Autor: Pires, Jorge Adelino da Cunha Ribeiro
Orientador: Pereira, Orlindo Gouveia
Data de Defesa: 1998
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: Esta Dissertação de Mestrado visa estudar as representações sociais e atitudes de oficiais e sargentos da Marinha em relação aos problemas do consumo de álcool e drogas ilegais. Pretende em particular determinar se os sujeitos que frequentaram o Curso de Operadores de Prevenção de Alcoolismo e Toxicodependências (COPATD), ministrado no âmbito da política da instituição militar, alteram ou não a sua maneira de encarar o alcoolismo e as toxicodependências, no sentido prescrito pelo mesmo curso. O método de aproximação ao problema proposto foram as representações sociais enquanto "conjunto de conhecimentos, crenças e opiniões partilhadas por um dado grupo em presença de um dado objecto social" (Moscovici, 1986), e em particular a Teoria do núcleo centrai formulada por Claude Abric (1976, 1984). Para análise dos dados utilizámos ainda o conceito de análise de similitude (Flament, 1986) e a operacionalização, proposta nos trabalhos de Píerre Vergès (1992, 1994). Constituíram-se duas amostras de militares da Marinha, correspondendo 28 sujeitos ao grupo com o Curso e 40 ao grupo que não frequentou o Curso. Os dados recolhidos através de um questionário estruturado enviado aos sujeitos, foram tratados pela aplicação informática desenvolvida por P. Vergès (1992, 1996). Os sujeitos foram solicitados no questionário a elaborar um trabalho cognitivo de análise, comparação e hierarquização: - Produção por associação livre e elaboração posterior de categorização do conteúdo. - Escolha e classificação de um corpo de itens dados para verificação da centralidade. - Pôr em relação termos apresentados criando agrupamentos ou famílias de palavras, que avaliam a expressão racional e cognitiva da representação. - Recolha das atitudes perante a política em vigor na instituição para os problemas de alcoolismo e da toxicodependência Os resultados revelaram em resumo, que a representação social do alcoolismo - na sua componente mais estável e duradoura - para os dois grupos, pode ser definida como uma situação de dependência e degradação, associando as noções de sofrimento, prejuízo-laboral e alterações de comportamento, na componente mais relacionada com o contexto imediato e quotidiano dos sujeitos. Os sujeitos com o Curso agregam a esta representação comum, as noções de doença e de recuperação. No caso da Toxicodependência, podemos definir a representação comum aos dois grupos como uma situação de dependência, doença e crime. Os sujeitos com o Curso diferenciam ainda, na representação, as noções de degradação, sofrimento, juventude e curiosidade. Combinando os resultados globais para os dois grupos, a comparação entre a representação social do alcoolismo e da toxicodependência, revela que estas situações têm em comum, as noções de dependência, degradação, marginalidade, alienação e fuga. A diferença consiste essencialmente, na associação das noções de crime e igualmente, de recuperação, à representação da toxicodependência. Relativamente ao estudo das atitudes em relação à política definida pela organização militar, existe uma analogia obvia relativamente ao prejuízo no funcionamento do serviço, ao envolvimento emocional e ao nível de conhecimento das normas. Estas normas e procedimentos de encaminhamento e reinserção são igualmente pouco conhecidas pelos sujeitos que constituem a amostra. A atitude é diferente, fundamentalmente quanto ao afastamento das fileiras das pessoas afectadas. Há maior aceitação para os alcoólicos continuarem ao serviço e rejeição dos toxicodependentes. Parece assim, que em ambos os casos os sujeitos não manifestam confiança na capacidade de recuperação da toxicodependência. Isto pode depender do facto de a alternativa para tratamento no meio militar ter sido recentemente introduzida e, os seus resultados e efeitos serem pouco divulgados. Parecem ainda, indicar estes resultados, uma dificuldade de associação entre o alcoolismo e a toxicodependência, enquanto doenças do mesmo tipo - dependência de substâncias (DSM-IV). Finalmente, pensamos que a análise dos resultados em relação ao problema proposto no início, que era o de verificar a influência do curso na representação, se confirma no sentido consentâneo com a estratégia definida pele organização militar, em relação aos problemas do consumo de álcool e de drogas ilegais. Todavia, é também provável que o relativo insucesso das medidas de prevenção, tratamento e recuperação da toxicodependência, na sociedade civil, bem como a maior aceitação social do alcoolismo, possam influenciar a representação dos militares sobre estes problemas.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Comportamento Organizacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/812
Aparece nas colecções:PORG - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM PIRE-J1.pdf6,2 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.