Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/807
Título: Absentismo: Fenómeno individual e/ou organizacional?
Autor: Pinto, Maria de Fátima Nunes
Palavras-chave: Comportamento organizacional
Absentismo
Condições de trabalho
Gestão
Atitudes face ao trabalho
Satisfação no trabalho
Organizacional behavior
Employees
Work conditions
Management
Work attitudes toward
Work satisfaction
Data de Defesa: 2006
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: O presente trabalho teve dois objectivos: pretendeu averiguar se algumas características pessoais e outras que, embora individuais, estão mais ligadas ao contexto organizacional, influenciam o absentismo global e o absentismo desagregado por alguns motivos justificativos das ausências; e se a (não) influência dessas características perdurava no tempo, de tal forma que pudessem servir como indicadores de padrões elevados de absentismo, e permitissem a elaboração de um potencial perfil de absenteísta. Este estudo foi feito com base em dados de arquivo. Foram analisados os registos individuais de 11837 empregados, que constavam numa base de dados de uma empresa nacional de prestação de serviços públicos - CTT Correios de Portugal, S. A., no período compreendido entre 2000 e 2003. Os dados desses registos referem-se: ao número de dias de ausência por ano; taxa global de absentismo por ano; e ao número de dias de ausência por motivo e por ano. Os motivos analisados foram alguns dos que a empresa considera como ausências justificadas, mas que contabiliza no seu absentismo global, nomeadamente: a doença; os acidentes de trabalho; as consultas médicas e/ou tratamento médico; os atrasos e/ou saídas antecipadas; a actividade sindical; a greve; o estatuto de trabalhador estudante e outros motivos. Esses registos também incluem os factores a analisar e que são: idade; género; estado civil; antiguidade; nível de escolaridade; vínculo profissional; grupo profissional e tipo de tarefa. Os dados foram analisados através da estatística descritiva e percentual, bem como dos testes paramétricos análise de variância de medidas repetidas e análise de variância multivariada. Os resultados obtidos revelam que existem factores individuais e organizacionais que são relevantes para a taxa de absentismo. Contudo, e apesar de diminutas, salientam-se as características mais relacionadas cora o contexto organizacional, uma vez que a sua influência perdura ao longo do período em análise. Verificou-se a existência de motivos específicos de ausência que caracterizam determinados grupos profissionais e determinados tipos de tarefa, porém não se pode traçar um perfil de um potencial absenteísta dado que os valores médios, associados a um absentismo elevado, variam por ano e por características pessoais. São sugeridos vários tipos de acções, quer no âmbito da prevenção, quer no de uma actuação mais imediata, que auxiliem na redução do absentismo.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Comportamento Organizacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/807
Aparece nas colecções:PORG - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM PINT-MF1.pdf10,61 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.