Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/802
Título: Personalidade sensation seeking na emergência médica
Autor: Pinho, Paula Cristina
Orientador: Correia, Manuela Faia
Palavras-chave: Comportamento organizacional
Personalidade
Instrumentos
Sensações intensas
Interesses
Traços de personalidade
Pessoal médico
Organizational behaviour
Personality
Instruments
Sensations
Seeking
Interests
Personality traits
Medical personal
Data de Defesa: 2003
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: O presente estudo pretende averiguar se os médicos e enfermeiros da emergência médica se enquadram dentro do Traço de personalidade Sensation Seeking, se existem diferenças entre estes dois grupos, e se estas diferenças variam em função das áreas de actuação ( Pré e intra-hospitalar), em função do género sexual e da idade. O Sistema de Emergência Médica, dividido em pré e intra-hospitalar, tem como objectivo socorrer a pessoa em risco de vida ou doença grave. Os médicos e enfermeiros, embora trabalhem com protocolos de actuação, tem no imprevisto uma constante, e os resultados são quase imprevisíveis. Este tipo de trabalho exige características de personalidade que se adaptem ao imprevisto, e à tomada de decisão rápida sob situações de grande pressão. O Traço de personalidade Sensation Seeking descreve a tendência da pessoa para procurar a novidade, a variedade e a complexidade, sensações e experiências intensas e a vontade de correr riscos pelo prazer de tais experiências. Estas características individuais, são possíveis de medir através da Sensation Seeking Scale (SSSV), da autoria de Marvin Zuckerman (1994). Esta é uma escala intervalar que vai de 0 a 40 pontos, e é composta por quatro sub-escalas que reflectem quatro dimensões do traço de personalidade Sensation Seeking: A procura de risco e aventura, a procura de experiências, a desinibição e a susceptibilidade ao aborrecimento. A SSSV foi aplicada individualmente, a 100 médicos e enfermeiros da área da emergência médica de Lisboa. Verificou-se que os Médicos e enfermeiros da emergência médica são altos Sensation Seekers., o que significa que existe afinidade entre as características de personalidade destes profissionais, e as características das tarefas profissionais. Verificou-se também que, os enfermeiros são mais Sensation Seekers que os médicos. As diferenças mais significativas, verificam-se nas dimensões Procura de risco e aventura e Procura de experiências. Estas diferenças podem ter origem no facto de os enfermeiros escolherem voluntariamente a urgência como local de trabalho, sem qualquer benefício ou constrangimento adicional; ao passo que os médicos são "obrigados" a fazer 12 horas de urgência semanal, por questões legais e curriculares. No que respeita às áreas de actuação, foi possível determinar que os médicos e enfermeiros do Pré-hospitalar são mais Sensation Seekers que os do Intra-hospitalar. È novamente na dimensão procura de risco e aventura que se verifica a maior diferença de valores. Isto faz todo o sentido uma vez que, o pré- hospitalar é uma área de risco físico e psíquico para os profissionais. Como o trabalho no Pré-hospitalar é uma opção voluntária dos médicos e enfermeiros, é natural que apenas os que tem aptidão para o risco escolham esta área. Não se verificaram diferenças significativas, na escala total, no que respeita ao género sexual face ao traço de Personalidade Sensation Seeking. Embora a literatura refira que os homens são mais Sensation Seekers que as mulheres, nesta amostra isso não se confirma. No entanto, na dimensão Desinibição verificou-se uma diferença significativa: É provável que os factores hormonais estejam relacionados com esta diferença. A Tetostrona, hormona sexual masculina, interfere positivamente no grau de disinibição das pessoas, e embora exista no organismo das mulheres, existe em maiores níveis no homem. Verificou-se também que os médicos e enfermeiros mais jovens, são mais Sensation Seekers que os mais velhos. Esta situação pode ser explicada pelas alterações hormonais: A tetostrona atinge o seu pico na juventude, tal como o traço Sensation Seeker, e ambos os picos entram em declínio com o decurso dos anos. Por seu lado, o mecanismo das Enzimas MAO e da Dopamina, que também influenciam este traço de personalidade, também sofrem alterações com o avançar a idade. Então, é provável que a necessidade de estimulação seja maior aos 20 anos que aos 40.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Comportamento Organizacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/802
Aparece nas colecções:PORG - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM PINH-P1.pdf4,57 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.