Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/729
Título: Dinâmicas comportamentais e jogo social de babuínos (papio hamadryas) imaturos em condições de cativeiro
Autor: Neves, Sónia Sanchez Franco das
Orientador: Santos, António José
Palavras-chave: Etologia
Comportamento parental
Territorialidade
Peixes
Comportamento animal
Ethology
Parental behaviour
Territoriality
Fishes
Animal behaviour
Data de Defesa: 2002
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: Com este projecto de investigação pretendeu-se estudar algumas dinâmicas comportamentais, com especial incidência para o jogo social, num grupo de babuínos hamadryas imaturos em condições de cativeiro no Jardim Zoológico de Lisboa. O grupo de imaturos é constituído por uma fêmea de oito meses e vinte e seis dias de idade e dois machos de 19 meses e 22 meses de idade no início de seis meses de estudo. Os outros indivíduos são duas fêmeas subadultas, dois machos e duas fêmeas adultas. Os três primeiros meses constituíram o período de habituação. Aproveitou-se este período para uma observação informal, dirigida à compreensão e descrição dos sujeitos assim como das categorias comportamentais elaborando-se deste modo o etograma. Durante este período, registou-se tudo o que era visível e que parecia relevante num momento determinado - amostragem ad libitum - (Martin & Bateson, 1993). Este tipo de amostragem manteve-se ao longo de todo o estudo longitudinal. Os dados quantitativos foram recolhidos através de amostragens focais com a duração de 15 minutos (Altmann, 1974). Foi feito o registo vídeo dos comportamentos dos babuínos por este proporcionar um registo visual preciso das condutas e permitir mais tarde a sua análise detalhada. Deu-se especial relevo à observação do comportamento de jogo, de modo a determinar diferenças individuais, e sua relação com a idade e sexo dos sujeitos. Os dados mostram que os imaturos ocupam a maior parte do seu tempo em interacções afiliativas e em comportamentos individuais. O jogo social foi o comportamento mais frequente nos indivíduos focais. Constata-se que a quantidade de jogo exibida varia com a idade e sexo do indivíduo. Entre os machos diminui com a idade. A fêmea é o indivíduo que exibe menos jogo social. Relativamente às categorias de jogo social, verifica-se existirem diferenças tanto na exibição dessas categorias comportamentais como na escolha de parceiro. A frequência de comportamentos agonísticos e sexuais observada é muito baixa. Nos comportamentos individuais o peso do jogo solitário é significativo. A sua frequência, analogamente ao que sucede com o jogo social, diminui com a idade. Ao considerar a diferença entre sexos, constata-se que a fêmea exibe mais jogo solitário que os machos. A frequência dos diferentes tipos de jogos parece aumentar e diminuir independentemente, indicando que eles envolvem caminhos ontogénicos diferentes. Mas só estudos que acompanhassem o curso do jogo ao longo do período juvenil forneceriam dados mais precisos. Em etapas seguintes na análise da ontogenia, poderiam manipular-se variáveis como o contacto social, a presença da mãe e estado nutricional.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Etologia
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/729
Aparece nas colecções:PBIO - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM NEVE-SS1.pdf4,52 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.