Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/632
Título: Abandono psicológico: Estudo exploratório: Um contributo dos profissionais dos centros de acolhimento temporário de menores em risco
Autor: Marçal, Isabel Maria Palma Esteves Rosinha
Palavras-chave: Psicologia clínica
Vinculação
Crianças abusadas
Instrumentos
Adopção
Crianças em risco
Famílias de adopção
Clinical psychology
Attachment
Behaviour
Child abuse
Instruments
Adoption
Children
Risk
Family
Adoptive parents
Data de Defesa: 2004
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: Com a presente investigação pretendemos aceder à compreensão das consequências psicológicas do abandono e do acolhimento temporário das crianças, com o objectivo de realizarmos um estudo exploratório sobre o Abandono Psicológico. Na revisão bibliográfica, atendendo ao facto de que a problemática do Abandono se relaciona com as questões ligadas à formação, insuficiência e/ou rompimento de Vínculos Afectivos e aos maus-tratos infantis, procuramos explorar teoricamente esses conceitos, pelo que a fundamentação teórica assenta em diversas reflexões acerca desses aspectos, antecedidos de um enquadramento da criança e da família ao longo da história e do enquadramento jurídico até à actualidade. A metodologia apresentada é a de utilização de um Questionário, que construímos e aplicámos numa amostra aleatória, constituída por cinquenta profissionais que exercem funções em Centros de Acolhimento Temporário de Menores em Risco. Através da sua aplicação, procuramos conhecer quais os sinais psicológicos consensualmente aceites pelos profissionais como de sofrimento psicológico das crianças acolhidas. Paralelamente, procurámos também saber quais as percepções dos profissionais sobre o seu papel para a organização afectiva das crianças acolhidas e sobre o actual sistema de acolhimento temporário. Verificamos que os profissionais identificam de forma consensual alguns sinais de sofrimento psicológico nas crianças acolhidas temporariamente, corroborando em muitos aspectos, as teorias apresentadas por diferentes autores. Conclui-se da necessidade dos técnicos dos centros de acolhimento temporário terem uma formação específica na área das crianças em risco, necessária para detectar e corrigir os tipos de afecto que estas crianças podem vir a apresentar (segundo a teoria de Guex) e da necessidade das crianças acolhidas temporariamente serem o mais rapidamente entregues às suas "famílias de adopção", de forma a receberem a constância do amor necessária ao seu desenvolvimento. Com base nos estudos de Guex, ao reconhecer em adultos sinais abandónicos da infância, é lícito inferir, com grande grau de possibilidade e de probabilidade, que muitas crianças apresentam sinais de mal-estar que podem ser considerados precursores de sintomas abandónicos.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicopatologia e Psicologia Clínica
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/632
Aparece nas colecções:PCLI - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM MARC-I1.pdf11,37 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.