Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/631
Título: Percepções de justiça, legitimação da autoridade e exercício de cidadania no contexto escolar
Autor: Marçal, Carla Maria Martins
Orientador: Pereira, Maria Gouveia
Palavras-chave: Psicologia educacional
Justiça
Cidadãos
Autoridade
Escolas
Desenvolvimento
Justiça social
Desenvolvimento moral
Instrumentos
Educational psychology
Justice
Citizenship
Autority
Schools
Development
Social justice
Moral development
Instruments
Data de Defesa: 2005
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: Este trabalho debruçou-se sobre os efeitos da percepção de justiça no contexto escolar. Foram três os objectivos gerais de pesquisa do presente estudo: (a) analisar o impacto das percepções de justiça na legitimação da autoridade escolar (os professores); (b) analisar o impacto das percepções de justiça no exercício de cidadania escolar e (c) analisar o papel mediador da legitimação dos professores na relação entre as percepções de justiça e o exercício de cidadania. A amostra do estudo foi constituída por 293 estudantes dos 5o (94), 8o (105) e 11° (95) anos de escolaridade, com idades compreendidas entre os 10 e os 19 anos, rapazes e raparigas, de duas escolas públicas da região de Lisboa, uma Básica 2.3. e outra Secundária. Na recolha dos dados utilizámos um questionário composto por uma questão aberta, remetendo para a descrição de uma situação em que os alunos se sentiram injustiçados por um professor, e três escalas distintas: percepção de justiça (Gouveia-Pereira, 2004); legitimação do professor (Gouveia-Pereira, 2004) e exercício de cidadania escolar (construída no quadro da pesquisa). Ao analisarmos os nossos resultados verificámos que são, essencialmente, os aspectos relacionais de justiça que contribuem para os alunos legitimarem a autoridade dos seus professores; o mesmo não se verificando com a justiça distributiva. Relativamente à relação entre a percepção de justiça e o exercício de cidadania, verificámos que é também a dimensão relacional de justiça que mais fomenta o exercício de cidadania nas dimensões analisadas (participação, solidariedade/cooperação, assunção de responsabilidades). De igual modo, ao analisarmos a mediação da variável legitimação da autoridade escolar na relação entre as percepções de justiça e o exercício de cidadania verificámos que esta mediação é total. Os resultados referidos validam o Modelo Relacional de Autoridade (MRA) (Lind & Tyler, 1992), uma vez que são os aspectos relacionais de justiça que mais explicam a legitimação da autoridade escolar e, valida-se ainda, o Modelo do Envolvimento do Grupo (MEG) (Tyler & Blader, 2003), na medida em que a justiça relacional fomenta a valorização da cooperação e os comportamentos de obediência voluntária a directivas da autoridade. Este estudo contribui para a compreensão do que conduz os estudantes adolescentes a legitimarem a autoridade dos professores, bem como "abre caminho" para a compreensão do como os alunos se envolvem no exercício de cidadania escolar.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/631
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM MARC-C1.pdf8,87 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.