Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.12/6058
Title: Técnica mista
Author: Vicente, Luisa Branco
Keywords: Técnica mista
transferência e contra- transferência
Mixed technique
transference and counter- transference
Issue Date: 2004
Publisher: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Citation: Análise Psicológica, 22(4), 683-689
Abstract: A autora começa por descrever a “técnica mista”, indicando o tipo de doentes para os quais lhe vê as principais aplicações. Faz em seguida uma rápida revisão: da concepção de Jean Bergeret sobre a classificação das psicoterapias (de orientação analítica ou não); dos conceitos de transferência e contra-transferência (revisitando Freud, Klein e Bion, entre outros); finalmente da técnica psicodramática. Para a autora, a expansão da mente – consequente ao crescimento afectivo e cognitivo do indivíduo, e dificilmente concebível num processo terapêutico, se a evolução e interpretação da transferência e resistência, bem como a análise da contra-transferência, não forem continuamente trabalhadas. Elabora em seguida sobre o material clínico, dado por uma jovem em sessões psicodramáticas e individuais, nas quais vivia uma ansiedade de morte, desimbricada da esperança de viver. A paciente sofrendo de psicose, despia-se de toda a significação humana, ficando ligada a uma espécie de objecto primário. Esta paciente fazia uma transferência tão maciça sobre os terapeutas, que se não utilizássemos os instrumentos que nos são dados através da técnica e teoria psicanalíticas, para através da dramatização compreender os movimentos transferenciais, para interpretar, dominar e dar sentido às reacções contra-transferenciais, dificilmente conceberíamos a acção terapêutica.
ABSTRACT: The author presents the so-called “mixed technique”, a technique which mixes the Psychodrama and the living Psychotherapy, and also underlines this therapeutic method for people’s illness. She writes a short approach to Jean Bergeret’s theory about the classification of psychotherapies (with an analytic orientation or not), about transference and counter-transference (revisiting Freud, Klein and Bion among others) and the psychodramatic technique. The mind expansion, a result of individual’s affectional and cognitive growing, is hardly conceived in a therapeutic process if the evolution and interpretation of the transference and resistance meaning and continuously worked, as well like the counter-transference analysis. Working on clinical material given by a young girl in psychodramatic sessions and individual psychotherapy during a large therapeutic process, the patient lived at a death’s anxiety without hope of living. Suffering of psychoses she, was linked at a kind of basic object then any human signification could get. The transference was so hard over the therapists that if we didn’t turn to dramatisation, the psychoanalysis technique and theoretical instruments, was impossible for us to understand the transferencial movements and to interpret, overcome and give sense to countertransferencial reactions, we hardly could glimpse an therapeutic action.
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/6058
ISSN: 0870-8231
Appears in Collections:PCLI - Artigos em revistas nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2004_22(4)_683.pdf42,38 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.