Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.12/5837
Title: Raciocínio ecológico-moral: Um estudo desenvolvimentista numa amostra de sujeitos de Lisboa
Author: Orlando, Lourenço
Kahn, Peter
Keywords: Concepções e valores ambientais
Raciocínio ecológico-moral
Environmental values and conceptions
Environmental-moral reasoing
Issue Date: 2000
Publisher: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Citation: Analise Psicológica XVIII(4), 425-435
Abstract: Os problemas do ambiente não podem mais ser ignorados. Neste artigo, são apresentados alguns resultados de uma investigação realizada numa amostra de sujeitos de Lisboa (Kahn & Lourenço, 2000). Nessa pesquisa, foram explorados alguns aspectos da nossa compreensão da ontogénese da relação humana com a natureza. Cento e vinte participantes igualmente divididos por quatro níveis de escolaridade (5.º ano, 8.º ano, 11.º ano e 1.º ano da Universidade) foram confrontados primeiro com problemas ambientais apelando para os quatro elementos fundamentais da natureza (i.e., terra, água, ar e fogo) e indagados depois sobre a importância que eles concediam a tais problemas e a sua possível conceptualização em termos ecológico-morais. Os resultados sugerem que (1) os problemas do ambiente preocupam as pessoas desde bastante cedo, um dado consistente com a hipótese da biofilia defendida por E. Wilson (1984) de que existe uma propensão biológica para nos afiliarmos com a natureza; (2) esta hipótese sai enriquecida quando inserida numa perspectiva teórica mais global que tem em conta a biologia, a cultura e o desenvolvimento; (3) tais preocupações vêm alargar o domínio tradicional da moralidade, um domínio onde cada vez faz mais sentido integrar também a área do raciocínio ecológico- moral; (4) esta nova área de pesquisa pode ajudar a esclarecer questões importantes e controvertidas no domínio do desenvolvimento moral (e.g., o debate da justiça vs. cuidado); e (5) qualquer programa de educação ambiental só tem a ganhar se tomar em conta os dados que emergem da pesquisa sobre a nossa compreensão da ontogénese da relação humana com a natureza.
ABSTRACT: Environmental problems cannot be ignored any more. In this paper, we present a few results of a research carried out in a sample of people from Lisbon (Kahn & Lourenço, 2000). In this research we tried to explore some aspects of one’s understanding of the ontogenesis of human relationship with nature. The sample consisted of 120 participants evenly divided into four grade levels (fifth, eighth, eleventh, and college). Participants were first presented with environmental problems appealing to the four elements of nature (i.e., earth, water, air, and fire), and then questioned about the importance of those problems to them, and their possible conceptualization as environmental moral problems. The results suggest that (1) participants at all ages care about environmental problems, a finding that is consistent with Wilson’s (1984) biophilia hypothesis of a genetically based human propensity to affiliate with nature; (2) this hypothesis becomes more powerful if it is inserted into a broader perspective that incorporates biology, culture, and development
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/5837
ISSN: 0870-8231
Appears in Collections:PSOC - Artigos em revistas nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2000_4_425.pdf40,15 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.