Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/5411
Título: Dispositional beliefs regarding “affect as information” determine the perception of persuasive self-efficacy
Autor: Garcia-Marques, Teresa
Loureiro, Filipe Pereira
Palavras-chave: Affect as information
Persuasion
Rational-experiential personalities
Afeto como informação
Persuasão
Personalidade racional e experiencial
Data: 2016
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Citação: Análise Psicológica, 34(1), 73-84. Doi: 10.14417/ap.1098
Resumo: In this paper, we approach the relationship between believing that affect informs about the validity of a claim and believing that one persuasive strategy will be more or less efficient in changing one’s own attitude. In one study, participants were asked to select from a set of features of a persuasive context those they perceived to have more persuasive power. Results showed that these selections were clearly clustered in two groups, suggesting that individuals tend to select either more cognitive features or more experiential affective features. Individual measures regarding participants’ need for cognition and faith in intuition did not explain the tendency to select more one type of cluster or another, but this selection was determined by how much people generally believe that affect informs about the validity or goodness of a claim.
Este artigo aborda a relação entre a crença de que os sentimentos nos informam sobre a validade de uma reivindicação/afirmação e a crença da eficácia de uma estratégia persuasiva sobre o próprio. O estudo apresentado pediu aos participantes que selecionassem de um conjunto de características de um contexto persuasivo as que poderiam ter capacidade de os persuadir. A análise dos resultados demostra que as seleções dos participantes agruparam as características persuasivas em características de foro cognitivo e características de foro afetivo ou experiencial. Medidas individuais quer de necessidade de cognição quer de fé na intuição não explicaram a tendência dos participantes em escolher mais um tipo de características do que outro. Esta seleção parece, antes, ser determinada pela crença manifestada pelos participantes de que os nossos sentimentos e afetos nos informam sobre a validade ou qualidade da reivindicação/afirmação persuasiva.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/5411
DOI: 10.14417/ap.1098
ISSN: 0870-8231
Aparece nas colecções:WJCR - Artigos em revistas nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
AP, 34(1), 73-86.pdf162,34 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.