Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/5165
Título: Coping as a moderator of the influence of economic stressors on psychological health
Autor: Jesus, Saul Neves de
Leal, Ana Rita
Viseu, João Nuno
Palavras-chave: Anxiety
Coping
Depression
Economic stressors
Stress
Ansiedade
Depressão
Stressores económicos
Stresse
Data: 2016
Editora: ISPA - Instituto Superior
Citação: Análise Psicológica, 34(4), 365-376
Resumo: Since 2008, there has been a decline in the economy of several European countries, including Portugal. In the literature, it is emphasized that periods of economic uncertainty propitiate the appearance of mental health problems and diminish populations’ well-being. The aim of the present study, with 729 Portuguese participants, 33.9% (n=247) males and 66.1% (n=482) females with an average age of 37 years old (M=36.99; SD=12.81), was to examine the relationship between economic hardship, financial threat, and financial well-being (i.e., economic stressors) and stress, anxiety, and depression (i.e., psychological health indicators), as well as to test the moderation effect of coping in the aforementioned relationship. To achieve these goals, a cross-sectional design was implemented and structural equation modeling (SEM) was used to analyze the obtained data. Our results underline that coping affects the relationship between economic stressors and psychological health since subjects with lower coping levels are more vulnerable to economic stress factors than those with higher coping levels. The moderation effect was more evident in the relationships between economic hardship and stress, anxiety, and depression. The main implications of this study are presented, as well as its’ limitations and suggestions for future research.
Desde 2008, tem havido um declínio na economia de vários países europeus, incluindo Portugal. Na literatura, enfatiza-se que períodos de incerteza económica propiciam o aparecimento de problemas de saúde mental e diminuem o bem-estar das populações. No presente estudo foram usados 729 participantes portugueses, 33,9% (n=247) homens e 66,1% (n=482) mulheres, com uma idade média de 37 anos (M=36,99, DP=12,81). Este estudo teve por objetivo analisar a relação entre as dificuldades económicas, a ameaça financeira e o bem-estar financeiro (stressores económicos) e os níveis de stresse, ansiedade e depressão (ou seja, indicadores de saúde psicológica), bem como para testar o efeito de moderação do coping nesta relação. Este modelo foi analisado através de equações estruturais (SEM). Os resultados obtidos revelam que o coping afeta a relação entre os stressores económicos e a saúde psicológica, uma vez que os sujeitos com menores níveis de coping são mais vulneráveis a fatores de stresse económico do que aqueles com níveis de coping mais elevados. O efeito de moderação foi mais evidente nas relações entre as dificuldades económicas e o stresse, a ansiedade e a depressão. São apresentadas as principais implicações deste estudo, bem como as suas limitações e sugestões para futuras pesquisas.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/5165
DOI: 10.14417/ap.1122
ISSN: 08708231
Aparece nas colecções:PSOC - Artigos em revistas nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
AP,34(4),365-376.pdf116,52 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.