Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/5163
Título: Amor e criação: A universalidade das cartas portuguesas
Autor: Santos, Mónica Alexandra de Jesus
Orientador: Castro, Maria Antónia Trigueiros de
Palavras-chave: Lettres Portugaises
Soror Mariana Alcoforado
Amor
Criação
Importância de contar
Love
Creation
Importance of telling
Data de Defesa: 2010
Resumo: Soror Mariana Alcoforado, a famosa “freira portuguesa”, é a suposta autora de um conjunto de cartas, escritas em francês, publicadas em 1669, em Paris, com o título Lettres portugaises traduites en français. Essa autoria, porém, tem sido posta em questão. A sua atribuição ao editor francês Guilleragues foi, durante uma série de anos, tida como segura. Indagações mais recentes, embora sem quaisquer certezas apuradas, desaconselham tal atribuição, tendo sido quase definitivamente abandonada a hipótese daquela autoria masculina. Daí que, mito ou realidade, as Cartas Portuguesas continuem a ser vistas e pensadas como parte da literatura portuguesa seiscentista e, nesse contexto, têm sido lidas, estudadas e reescritas ao longo dos tempos, contribuindo indubitavelmente para a noção romântica de um amor sem limites. As Cartas Portuguesas, escritas por um eu que se confessa, desvendam estados de alma perante um sentido desengano e uma profunda dor da ausência do ser amado, essência de um drama passional tão caro à Literatura Portuguesa. O interesse e o sucesso intemporal da obra Lettres Portugaises, tanto junto do público em geral, como dos inúmeros estudiosos que sobre ela se debruçaram, remetem-nos para a importância da temática veiculada: a capacidade de amar. A dissertação tem por objectivo apresentar uma leitura da obra Cartas Portuguesas considerando-as um documento humano, literário e de confissão, testemunhando e relacionando-as com aquilo a que denominamos “necessidade e importância de contar”, motor da escrita epistolográfica e, paralelamente, impulsionadora de um (re)encontro com o eu interior.
Soror Mariana Alcoforado, the famous “Portuguese nun” is considered to be the author of a collection of letters, written in French, published in 1669, in Paris, under the title Lettres portugaises traduites en français. But the authorship of the Lettres was assigned, for many years, to Guilleragues, the French editor. Later inquiries discourage that point of view, and the hypotheses of a male authorship are almost definitely abandoned. Hence, either myth or reality, the letters continue to be seen and thought of as part of the seventeenth-century Portuguese Literature. In this context they have been read, studied and rewritten over time, undoubtedly contributing to the romantic notion of love without limits. The Portuguese Letters were written by an “I” that reveals disappointment and deep regret in the absence of the beloved, such a dear and important theme to the Portuguese Literature. The interest and success of the Lettres Portugaises, to both the public and the many scholars who have studied them, underline the importance of the theme conveyed: the capacity to love. We aim to study the Portuguese Letters as a document of literary confession, witnessing and relating them to the "importance and need to tell", the ultimate motivation for writing letters and to reencounter our inner self.
Descrição: Dissertação de Mestrado apresentada no ISPA – Instituto Universitário para obtenção do grau de Mestre em Psicologia especialidade de Psicologia Clínica.
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/5163
Designação: Mestrado em Psicologia
Aparece nas colecções:PCLI - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
7127.pdf808,36 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.