Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/501
Título: Percepções de justiça e condutas de desvio na adolescência
Autor: Feijão, Silvina Vida Larga
Orientador: Carita, Ana
Palavras-chave: Psicologia educacional
Justiça
Adolescência
Escola
Desenvolvimento
Desenvolvimento moral
Percepção
Educational psychology
Justice
Adolescence
Schools
Development
Moral development
Perception
Data de Defesa: 2007
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: Para a realização deste trabalho, partimos do pressuposto, já assumido por outros investigadores de que a escola desempenha um papel indelével no processo de socialização dos indivíduos. Consideramos, pois, que a qualidade das experiências vividas, em contexto escolar, são determinantes no desenvolvimento e no ajustamento do indivíduo às exigências da sociedade, pelo que a figura do professor assume lugar de destaque, uma vez que representa a autoridade formal com a qual os alunos interagem com maior frequência. Assim, sabendo-se que, na área das organizações empresariais, a relação entre os indivíduos e a autoridade formal é condicionada pelas percepções acerca dos comportamentos de (in)justiça e que esta determina o tipo de comportamento adoptado, decidimos verificar se o mesmo ocorre em contexto escolar. A elaboração deste trabalho tem em conta os pressupostos teóricos desenvolvidos no âmbito da Psicologia Social, nomeadamente no que se refere à percepções de justiça, e em particular à teoria do Modelo do Valor do Grupo. Considera-se, pois, que o modo como os alunos percepcionam os comportamentos de justiça dos seus professores poderá ter implicações na adopção de comportamentos de desvio. Na realização deste estudo definimos os seguintes objectivos: a) explorar empiricamente o universo conceptual dos juízos de justiça e verificar a sua variação em função do sexo, ano de escolaridade, resultados escolares e projecto escolar; b) aprofundar e alargar o conhecimento sobre a percepção dos alunos acerca da adopção de comportamentos de desvio, bem como a variação dessa percepção em função das variáveis sexo, ano de escolaridade, resultados escolares e projecto escolar; c) perceber a relação entre as percepções dos comportamentos de justiça dos professores e a adopção de Percepções de Justiça e Condutas de Desvio na Adolescência 5 comportamentos de desvio e conhecer, ainda, o efeito moderador das variáveis sexo, ano de escolaridade, resultados escolares e projecto escolar, nessa relação. O presente estudo inscreve-se num projecto mais lato de investigação, coordenado por Carita e Gouveia-Pereira, no âmbito da UIPCDE do ISPA. Por isso, o número de participantes do nosso estudo – 305 – faz parte de uma amostra mais alargada, constituída por 702 alunos dos 8º e 11º anos de escolaridade, com idades compreendidas entre os 12 e os 19 anos de idade. Na recolha de dados utilizaram-se dois instrumentos: um questionário sobre as percepções dos comportamentos de justiça dos professores (Gouveia-Pereira, 2004) e um questionário sobre a percepção acerca da adopção de comportamentos de desvio, desenvolvido no âmbito daquele projecto de investigação. Após o tratamento dos dados, os resultados obtidos permitem-nos concluir que, por um lado, em termos gerais, os alunos fazem uma avaliação positiva do exercício da justiça dos seus professores; por outro, consideram não adoptar comportamentos de desvio, com frequência. Os resultados obtidos permitem-nos, ainda, constatar a existência de uma relação, estatisticamente significativa, entre as percepções dos comportamentos de justiça dos professores e a percepção acerca da adopção de comportamentos desviantes. Confirmase, neste trabalho, a hipótese de que, em contexto escolar, as percepções de justiça influem no comportamento dos indivíduos, no que se refere à prática de actos de desvio. No entanto, constata-se que as variáveis de contexto escolar – ano de escolaridade, resultados escolares – não exercem o efeito esperado na relação entre as dimensões de justiça e as dimensões de desvio. Já as variáveis género e projecto escolar exercem, como esperávamos, um efeito moderador, ainda que parcial, entre as percepções dos comportamentos de justiça dos professores e a percepção acerca da adopção de comportamentos desviantes.
Descrição: Dissertação de mestrado em Psicologia Educacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/501
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM FEIJ-J1.pdf7,27 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.