Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/499
Título: O optimismo na educação: Uma abordagem para o Ensino Superior: Um estudo nos cursos de Educação de infância e professores do ensino básico do 1º ciclo
Autor: Faria, Sofia Barreiros Macedo de
Orientador: Marujo, Helena Águeda
Palavras-chave: Psicologia educacional
Ensino superior
Optimismo
Professores
Educational psychology
Hight education
Optimism
Teachers
Data de Defesa: 2004
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: Esta dissertação de mestrado aborda o tema da educação para o optimismo no Ensino Superior. A primeira parte deste trabalho consiste num enquadramento teórico do tema, que se inicia com uma breve perspectiva histórica sobre a Psicologia Positiva, seguindo-se uma abordagem aos conceitos de optimismo e pessimismo, fazendo-se ainda uma breve referência à origem do optimismo e do pessimismo e ao bem-estar subjectivo. Por fim faz-se a ligação destes conceitos à educação, principalmente no Ensino Superior, e termina-se com uma revisão sobre os instrumentos existentes para avaliar o optimismo e o pessimismo. A segunda parte deste trabalho é composta por dois estudos efectuados a alunos dos cursos de Educação de Infância e de Professores do Ensino Básico do 1o ciclo de uma Escola Superior de Educação. No primeiro estudo, que teve como objectivo principal verificar as diferenças e semelhanças apresentadas pelos alunos ao nível do grau de optimismo/pessimismo entre os 4 anos de cada um dos dois cursos, foi aplicada a escala ELOT - versão adaptada para a população portuguesa, em dois momentos distintos, no início e no final de cada ano, de cada curso. No segundo estudo, que teve como objectivo relacionar o factor pessoal de optimismo/pessimismo dos alunos com o contexto e compreender quais os factores que poderão promover o desenvolvimento do optimismo na formação dos jovens profissionais de educação, foram entrevistados os cinco alunos mais optimistas e os cinco alunos mais pessimistas de cada ano, de cada curso, em dois momentos distintos, no início e no final do ano lectivo, tendo sido efectuada uma análise de conteúdo destas entrevistas. Pode-se concluir que em relação ao primeiro estudo o padrão dos níveis de optimismo e pessimismo, embora se tenha mantido constante durante as duas aplicações, não foi igual nos dois cursos. O curso de Educação de Infância apresentou uma quebra em relação aos níveis de optimismo a partir do 2o ano, ao contrário do curso de Professores do Ensino Básico do 1o ciclo, que apresentou valores semelhantes entre os 4 anos do curso. Em relação ao segundo estudo concluiu-se que os alunos dos dois cursos valorizam e estão abertos às questões relacionais e afectivas na relação pedagógica, o que nos abre portas para repensarmos a formação inicial de forma a podermos caminhar para uma educação para o optimismo.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/499
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM FARI-S1.pdf24,15 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.