Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/463
Título: Vamos tomar um café online?: A expressão da presença social numa comunidade de ensino aprendizagem online
Autor: Crato, Maria Raquel Tavares Pereira
Palavras-chave: Psicologia educacional
Aprendizagem
Internet
Ensino
Redes sociais
Presença social
Educational psychology
Learning
Internet
Reading
Social networks
Social preference
Data de Defesa: 2008
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: A emergência e desenvolvimento de sofisticadas redes de informação e comunicações electrónicas nas últimas décadas possibilitaram o desenho e a implementação de novas práticas pedagógicas que transformaram, e continuam a transformar, significativamente, o ensino e a aprendizagem de uma forma global. O crescente potencial destas novas infra-estruturas tecnológicas em rede permitiu, nomeadamente no ensino aprendizagem a distância, a criação de contextos que proporcionam novas formas de interacção onde são possíveis a comunicação entre professor e estudante, estudante com estudante, e estudante com professor. Ou seja, permitiu a criação de comunidades educativas virtuais onde professores e estudantes interagem a partir de qualquer lugar e em qualquer momento. Apesar desta forma de ensino aprendizagem a distância mediada por computador ser muito promissora a diversos títulos, não deixa, porém, de levantar algumas interrogações quanto à sua capacidade e eficácia interactiva. A interacção online é na sua grande maioria baseada na linguagem escrita, o que condiciona, ou até elimina, todos os indicadores de linguagem não verbal que facilitam a comunicação num contexto presencial. A impossibilidade de facilmente se percepcionar através do texto escrito a linguagem corporal, as variações na tonalidade da voz, as expressões faciais, e toda uma panóplia de outros indicadores visuais e sonoros potenciadores de interacção social e de comunicação, aumenta a dificuldade de interpretação do sentido do que se pretende comunicar, e pode até tornar ambíguas, ou mesmo incompreensíveis, muitas das posições e condutas dos elementos de uma comunidade de ensino aprendizagem em contexto virtual. XXI Partindo da definição de Presença Social dada por Garrison, Anderson, e Archer (2000) “the ability of participants in a community of inquiry to project themselves socially and emotionally, as ‘real’ people (i.e., their full personality), through the medium of communication being used” (p. 94), recolhemos, observámos e analisámos, durante dois quadrimestres, o conteúdo de todas as mensagens escritas, produzidas por professores e alunos, de um curso de mestrado online, de uma universidade pública portuguesa, de forma a compreender as manifestações da presença social em três contextos diferentes – informal, formal, e híbrido. Quisemos ver, de um modo geral, como se manifesta a presença social e de que forma a coesão, a compreensão, e a proficiência educativa da comunidade de ensino aprendizagem, objecto do presente estudo, pode fornecer pistas para que se melhore o desenho de cursos em ambientes online. Quisemos também saber, de uma forma particular, se a presença social está mais presente nos espaços de comunicação informal. Dos resultados que obtivemos podemos dizer que a presença social se manifesta em todos os conteúdos, variando no espaço e no tempo, e que a coesão do grupo demora tempo a revelar-se. Constatámos também que o café é, sem dúvida, o espaço privilegiado para a manifestação da presença social, principalmente na forma de emoções e afectividade. Estamos convictos de que conseguimos desbravar determinados caminhos que podem vir a melhorar o desempenho de uma comunidade virtual de aprendizagem. Para todos os efeitos: tomar um café online é um comportamento desejável em comunidades de aprendizagem virtual. ABSTRACT The emergence and development of sophisticated nets of information and electronic communications in the last few decades made possible the drawing and the implementation of new pedagogical practices that transformed, and continue to transform, significantly, the education and the learning on a global form. The potential increasing of these new technological infrastructures in net allowed, especially in teaching of learning at distance, the creation of contexts that provide new forms of interaction where it is possible the communication between professor and student, student with student, and student with professor. That is, it allowed the creation of virtual educative communities where professors and students interact from any place and at any moment. Although this form in teaching of learning at distance mediated by computer is very promising at diverse headings, it does not leave, however, to raise some interrogations about its capacity and interactive effectiveness. The interaction online it is in its great majority based on the written language, what conditions, or even eliminates, all the pointers of non verbal language that facilitate the communication in an context done in the presence of somebody. The impossibility of easily understanding through the written text the corporal language, the variations in the tonality of the voice, in the face expressions, and all a panoply of other visual pointers and sonorous potential of social interaction and XXIII communication, increases the difficulty of interpretation of the direction of what it is intended to communicate, and can even become ambiguous, or still incomprehensible, many of the positions and behaviors of the elements of an education community learning in virtual context. Leaving from the definition of Social Presence given by Garrison, Anderson, and Archer (2000) “the ability of participants in community of inquiry you project themselves socially and emotionally, `real' people (i.e., to their full personality), through the medium of communication being used” (P. 94), we collect, we observed and we analyzed, during eight months, the content of all the written messages, produced by professors and pupils, of an online master course, of a Portuguese public university, in a way to understand the manifestations of the social presence in three different contexts - informal, formal, and hybrid. We wanted to see, in a general way, as the social presence it manifests and in what form the cohesion, the understanding, and the educative skill of the education community learning, object of the present study, can supply tracks so that if it improves the drawing of courses in online environments. We also wanted to know, in a particular form, if the social existence is more present in the spaces of informal communication. Of the results that we got we can say that the social existence it manifest in all the contents, varying in the space and the time, and that the cohesion of the group delays time to reveal itself. We also evidenced that the coffee shop is, without a doubt, the privileged space for the manifestation of the social presence, mainly in the form of emotions and affectivity. We are convicts of that we can tame definitive ways that can come to improve the performance of a virtual community of learning. For all the effect: to take a coffee online it is a desirable behavior in communities of virtual learning.
Descrição: Dissertação de mestrado em Psicologia Educacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/463
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM CRAT-M1.pdf16,55 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.