Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/458
Título: Atitudes das mães de crianças asmáticas do ensino básico face ao absentismo escolar, ao exercício físico e actividades desportivas dos seus filhos
Autor: Costa, Maria de Fátima Maio Jerónimo da
Orientador: Sá, Eduardo
Palavras-chave: Psicologia educacional
Escola
Desenvolvimento físico
Atitudes
Mães
Asma
Família
Professores
Instrumentos
Desportos
Educational psychology
School
Physical development
Attitudes
Mothers
Asthma
Family
Teachers
Sports
Data de Defesa: 2002
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: Este estudo sobre crianças asmáticas pretende contribuir para a compreensão das atitudes materno/parentais - já que são as mães o objecto afectivo de maior ligação no desenvolvimento da criança - face ao absentismo escolar e às actividades desportivas dos seus filhos com asma. Ocupando um lugar de relevo na pediatria moderna a asma infantil é a primeira entre as doenças respiratória e entre as doenças alérgicas e é a doença crónica mais frequente na idade pediátrica, atingindo entre 10% a 15% das crianças em Portugal e no mundo (I S A A C /1995 - 2000 ). Toda a forma de doença crónica na criança e, por conseguinte, a doença da criança asmática deve ser entendida como envolvendo todo o agregado familiar. A alteração da estabilidade familiar face às crises e sintomas de asma manifestam-se num aumento de tensão e de ansiedade na relação da díade mãe/criança. Segundo Molinari (1989 ) vários estudo provam que o mundo relacional das crianças asmáticas se encontra frequentemente limitado exclusivamente à figura materna. A mãe acumula nestas situações as responsabilidades de cuidar, tratar, conduzir ao médico e ao hospital, perdendo noites, faltando ao emprego; tudo isto reverte num stress adicional que, sendo difícil de digerir, vai pesar na relação mãe/criança e repercutir-se em todas as actividades da vida familiar. O absentismo escolar das crianças asmáticas, muitas vezes necessário e justificável diante dos sintomas, é, com frequência, totalmente injustificado. Confrontada com o receio de que novas crises ocorram na escola durante a sua ausência e com a necessidade imprescindível de administrar os medicamentos ao filho, a mãe acaba muitas vezes por permitir que a criança falte à escola, faltando ela própria também ao trabalho. Esta situação mais aumenta o seu estado de tensão e ansiedade. Insere-se, pois, neste contexto o estudo que nos propusemos realizar: "Atitudes maternas face ao absentismo escolar e às actividades desportivas das crianças asmáticas", dado que é reconhecido como elevado o absentismo escolar destas crianças e é igualmente sabida a tendência dos pais das mesmas para impedir que os seus filhos asmáticos " se cansem " ou " lhes falte o ar " ao fazer exercício físico, projectando nesta tendência os seus medos face à doença. A pesquisa que realizámos sobre trabalhos nesta área em Portugal revelou-se infrutífera; fizemos, então uma consulta alargada em PSYCLIT e Medicine's MEDLINE onde encontrámos vários estudos sobre crianças asmáticas alguns com bastante afinidade temática ao nosso estudo. No estudo teórico da asma procurámos destacar não só a caracterização da doença como as implicações desta no desenvolvimento psicossocial da criança relevando ainda o que de mais recente a nível desta patologia esteve ao alcance da nossa investigação. A revisão da literatura sobre as atitudes levou-nos a reflectir sobre o conceito de atitude bem como sobre a avaliação, a formação, as funções e os processos de mudança das atitudes. A amostra deste estudo é constituída por noventa e três mães de crianças asmáticas em idade escolar distribuídas pelos três ciclos do ensino básico. As mães responderam a um questionário e a uma escala de atitudes. Orientámos o nosso trabalho em torno de quatro questões de investigação que nos ajudaram a perseguir os objectivos e as quais procurámos dar resposta no final do estudo: A primeira questão relaciona-se com as atitudes das mães / pais das crianças asmáticas face ao absentismo escolar dos seus filhos com asma. A segunda questão refere-se às atitudes dos pais / mães das crianças com asma face à prática da disciplina de educação física, natação e outras actividades desportivas dos seus filhos asmáticos. A terceira questão prende-se com a determinação das causas do absentismo escolar das crianças asmáticas e procura identificar níveis concretos desse absentismo durante o último ano lectivo. A quarta e última questão procura encontrar uma relação entre os níveis de absentismo escolar e o grau de severidade da asma das crianças. Esta investigação permitiu-nos extrair conclusões sobre as atitudes das mães de crianças asmáticas face ao absentismo escolar e à prática de exercício físico e actividades desportivas através da leitura dos padrões de discordância dispersão e concordância. Este estudo permitiu também extrair conclusões sobre os níveis concretos de absentismo escolar e a prática de exercício físico das crianças com asma e sobre algumas relações interessantes dos níveis de absentismo e de prática desportiva com o grau de severidade da asma das crianças da amostra. Constam também deste trabalho sugestões de continuidade da investigação sobre aspectos importantes dentro da relação criança asmática/escola. Conclui-se, por fim, sobre a pertinência deste estudo no despertar interesses e abrir pistas para novos caminhos de investigação na área deste trabalho ou em áreas afins.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/458
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM COST-M1.pdf8,26 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.