Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/456
Título: A propósito do imprevisto: Dimensões socio-cognitivas na adesão das mulheres à contracepção
Autor: Costa, Emília Isabel Martins Teixeira da
Orientador: Leal, Isabel Pereira
Palavras-chave: Psicologia da saúde
Contracepção
Instrumentos
Gravidez
Suporte social
Atitudes
Comportamento social
Sexualidade
Health psychology
Contraception device
Instruments
Pregnancy
Social support
Attitudes
Sexual behaviour
Sexuality
Data de Defesa: 2001
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: Esta investigação teve como objectivo, explicitar a relação existente, entre dimensões socio-cognitivas e adesão das mulheres à contracepção, num grupo de puerperas de um hospital distrital. A adesão é o conceito central do estudo, tendo-se recorrido à sua mensuração de uma forma considerada indirecta, pelo planeamento da gravidez. Após consentimento informado, todos os participantes preencheram um protocolo de investigação. Recorreu-se ao uso de vários instrumentos de auto-preenchimento, através dos quais se pretendeu avaliar não só a adesão à contracepção, mas também, as dimensões socio-cognitivas, nomeadamente o nível de informação de carácter contraceptivo, a valorização da gravidez, a satisfação com o suporte social, a auto-eficácia geral percepcionada, o locus de controlo para a saúde e a atitude face à sexualidade. Participaram neste estudo 171 mulheres, com uma média de idades de 27.67 anos (s= 4.60). 66.7% das mulheres referem ter abandonado o método contraceptivo em uso antes da gravidez actual pelo desejo de engravidar, 26.9 % utilizavam inadequadamente o contraceptivo e 6.4% não usavam qualquer tipo de contracepção. 71.3% das mulheres considera a gravidez actual planeada, 28.7% considera a gravidez actual imprevista. Da análise dos dados destaca-se a associação encontrada entre o planeamento da gravidez e o nível de informação de carácter contraceptivo. Salientam-se ainda as correlações: nível de informação de carácter contraceptivo e auto-eficácia geral percepcionada, atitude face à sexualidade e valorização da gravidez, auto-eficácia geral percepcionada e valorização da gravidez actual, valorização da gravidez e satisfação com o suporte social, nível de informação de carácter contraceptivo e locus de controlo. Constata-se a associação existente entre adesão das mulheres à contracepção e o nível de informação de carácter contraceptivo, verificando-se também que variáveis como a auto-eficácia geral e o locus de controlo para a saúde se correlacionam por sua vez com o nível de informação de carácter contraceptivo. Os resultados desta investigação permitem uma reflexão sobre a actuação dos serviços de saúde, concluindo que, os critérios de eficácia das estratégias de educação para a saúde não passam exclusivamente pela massificação, mas também, pela adequação da informação que se pretende transmitir. Os indivíduos são os sujeitos dos cuidados de saúde, pelo que, todo o seu contexto socio-cognitivo deve ser tido em conta no momento de definir estratégias de intervenção. Comprova-se também que os fenómenos e nomeadamente a adesão à contracepção, não podem ser entendidos com base em relações de causa - efeito, verifica-se sim que, diferentes dimensões se conjugam, condicionando respostas particulares a situações comuns.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia da Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/456
Aparece nas colecções:PSAU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM COST-Em1.pdf4,94 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.