Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/4317
Título: Tipologias de erros de leitura 1º ciclo : Avaliação da leitura oral de palavras
Autor: Simões, Edlia Alves
Orientador: Martins, Margarida Alves
Palavras-chave: Aquisição da leitura
Erros de leitura
Leitura de palavras
Dificuldades de leitura
Reading development
Reading errors
Word recognition
Reading disorders
Data de Defesa: 2015
Editora: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Resumo: Foram realizados dois estudos empíricos. O primeiro teve por objetivo explorar o desempenho na leitura de crianças durante os quatro primeiros anos de aquisição da leitura, estudar os padrões de tipologias de erro e os processos cognitivos subjacentes aos tipos de erros de leitura. Realizou-se uma análise psicolinguística aos casos de correspondências grafo-fonológicas específicas e estruturas silábicas complexas da ortografia portuguesa. Participaram, neste estudo, 640 crianças do 1º ao 4º ano. Foram aplicadas duas provas de leitura oral de palavras. Os resultados revelaram que as crianças melhoram o seu desempenho ao longo do 1º ciclo em relação à acuidade e fluência, havendo maior crescimento do 1º para o 2º ano de escolaridade. As crianças cometeram maior número de erros fonológicos do que lexicais, com uma diminuição progressiva do 1º ao 4º ano, utilizando a substituição de fonemas como estratégia predominante. Os erros lexicais, aumentam do 1º para o 2º ano e depois estabilizam até ao 4º ano. A análise psicolinguística em relação aos casos específicos dos dígrafos consonantais e vocálicos, assim como das estruturas silábicas complexas (CVC e CCV) mostrou que as crianças apresentam maiores dificuldades nos dígrafos vocálicos que nos dígrafos consonantais e tendem a simplificar as sílabas complexas em sílabas CV. No segundo estudo, analisámos a evolução do desempenho na leitura, de bons e maus leitores do 1º para o 2º ano, e do 3º para o 4º ano, e caracterizámos os perfis cognitivo-linguísticos destes dois tipos de leitor. Selecionámos 15 bons leitores e 15 maus leitores do 1º ano e 14 bons leitores e 16 maus leitores do 3º ano que avaliámos no final de cada um dos anos. No primeiro momento, foram aplicadas provas em relação à acuidade, processamento ortográfico e compreensão. No segundo momento, foi aplicada uma prova de pseudopalavras, e provas para avaliar a capacidade intelectual nãoverbal, a memória verbal a curto-prazo, o vocabulário, as capacidades fonológicas e a capacidade de nomeação rápida. Os maus leitores mostraram uma maior evolução na acuidade do que os bons leitores, tanto do 1º para o 2º ano, como do 3º para o 4º ano. Em relação ao processamento ortográfico, apenas avaliado no 1º e 2º ano, verificou-se que ambos os tipos de leitor evoluíram de forma semelhante. Os maus leitores do 1º ano apresentaram maior número de erros visuais do que os bons leitores que apresentaram maior número de erros fonológicos. Quanto à compreensão leitora, do 1º para o 2º ano de escolaridade os maus leitores evoluíram mais que os bons leitores. No 3º e 4º ano, os maus e bons leitores tiveram uma evolução semelhante. Verificámos diferenças significativas, num conjunto de variáveis cognitivo-linguísticas, entre bons e maus leitores. No 2º ano, os maus leitores apresentaram uma competência inferior na memória verbal a curto prazo, nas capacidades fonológicas e na capacidade intelectual não-verbal. No 4º ano, apresentaram desempenhos inferiores na capacidade de reconstrução fonémica e nomeação rápida. Concluímos apresentando as implicações educacionais destes resultados para a prevenção das dificuldades de aquisição da leitura.
ABSTRACT: We conducted two empirical studies. The first aimed to explore the reading performance of children during the first four years of reading acquisition, as well as the pattern of error types and cognitive processes underlying these reading errors. We held a psycholinguistic analysis of specific cases of grapheme-phoneme correspondences and complex syllabic structures of the Portuguese orthography. In this study, participated 640 children from 1st to 4th grade. Two word reading aloud tests were applied. The results revealed that children improve their performance over the first four grades in relation to accuracy and fluency, with greater growth from 1st to 2nd grade. The children committed more phonological than lexical errors, with a progressive decrease from 1st to 4th grade using the substitution of phonemes as the predominant strategy. Lexical errors increase significantly from 1st to the 2nd grade and then stabilize until the 4th grade. A psycholinguistic analysis to specific cases of consonantal and vocalic digraphs, as well as to the complex syllabic structures (CVC and CCV) showed that children have greater difficulty in vocalic digraphs than in consonant digraphs and tend to simplify the complex syllables in CV syllables, as a reading strategy. In the second study, we analyzed the developmental reading performance of good and poor readers from the 1st to the 2nd grade and from the 3rd to the 4th grade, and also characterized the cognitive-linguistic profiles of these two types of readers. We selected 15 good readers and 15 poor readers in the 1st grade and 14 good readers and 16 poor readers in the 3rd grade, which we assessed at the end of each year. In the first assessment moment, tests were applied to assess accuracy, orthographic processing and reading comprehension. In the second assessment moment, we applied a pseudo-word reading aloud test and tests to assess nonverbal intelligence, short-term verbal memory, vocabulary, phonological skills and rapid naming skills. The poor readers showed a further development in accuracy in comparison to the good readers from both the 1st to 2nd grade, as from the 3rd to 4th grade. Regarding the orthographic processing, only evaluated in 1st and 2nd grades, we found that both types of readers developed similarly. The 1st grade poor readers showed a higher number of visual errors than good readers, who exhibited more phonological errors. As for reading comprehension, the poor readers from 1st to 2nd grade evolved more than good readers, however from the 3rd to 4th grade, the poor and good readers had a similar development. We found significant differences, in various cognitive-linguistic variables, between good and poor readers. In the 2nd grade, the poor readers revealed a lower competence in short-term verbal memory, phonological skills and nonverbal intelligence. In the 4th grade, the poor readers showed lower performance in phonemic reconstruction capacity and rapid naming. The educational implications of these findings, for the prevention of early reading difficulties, are discussed.
Descrição: Tese de Doutoramento apresentada ao ISPA - Instituto Universitário
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/4317
Designação: Doutoramento em Ciências da Educação
Aparece nas colecções:PEDU - Tese de doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TES SIMO18,94 MBUnknownVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.