Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/420
Título: Qualidade de vida em doentes colecistectomizados por colecistite aguda: Cirurgia clássica versus cirurgia laparoscópica
Autor: Castelo, Francisca Rita Valério Antunes Varela Bicha
Orientador: Ribeiro, José Luís Pais
Palavras-chave: Psicologia da saúde
Instrumentos
Cirurgia
Promoção da saúde
Doença
Health psychology
Surgery
Health promotion
Illness
Data de Defesa: 2001
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: Sendo a Qualidade de Vida (QdV) um tema relativamente pouco estudado em doentes cirúrgicos submetidos a Colecistectomia, possível de efectuar sob duas abordagens cirúrgicas muito diferentes, decidimos realizar um estudo que permitisse responder a esta questão em aberto: qual o impacto em termos de QdV da moderna abordagem laparoscópica (cavidade abdominal fechada) quando comparado com o acesso cirúrgico clássico (cavidade abdominal aberta). A escolha da Colecistite Aguda prende-se com o facto de ser a única entidade nosológica capaz de poder constituir-se como modelo clínico para este tipo de investigação. Para além deste objectivo principal avaliámos ainda a existência ou não de diferenças na QdV destes doentes entre os sexos, grupos etários e nível de actividade profissional. Utilizámos uma amostra de conveniência de 120 participantes, que se distribuíram equitativamente por cada um dos grupos de cirurgia, com idades que variaram entre os 22 e os 74 anos, a maioria era do sexo feminino (78,3%) e de raça caucasiana (99,2%). Como instrumento de medição para o estudo de avaliação da Qualidade de Vida utilizámos o Questionário SF-36 que foi respondido presencialmente por todos os doentes, no qual se verificaram as melhores pontuações nas dimensões relativas à função social, dor corporal e saúde mental. As pontuações médias mais baixas estavam relacionadas com o desempenho físico. Os participantes do sexo masculino obtiveram pontuações significativamente superiores no desempenho emocional, saúde mental e vitalidade. Os resultados apontaram igualmente para a existência de uma relação directa entre a idade dos participantes e a função física, saúde geral, saúde mental e vitalidade, ou seja, participantes com idades mais avançadas obtêm pontuações mais baixas nestas dimensões. Os dois grupos de participantes, diferenciados pelo tipo de colecistectomia a que foram submetidos, mostraram-se homogéneos no que diz respeito às características sócio-demográficas referidas anteriormente. O estudo das pontuações do SF-36 entre grupos de cirurgia, permite concluir não existirem diferenças significativas na função física e saúde geral. Os dois grupos de participantes mostraram-se idênticos no que diz respeito a estas duas dimensões. Relativamente à dor corporal, desempenho emocional, desempenho físico, função social, saúde mental e vitalidade, os participantes que foram sujeitos a uma colecistectomia laparoscópica apresentaram, em média, pontuações superiores e como tal melhor qualidade de vida, quando avaliada sobre estes campos. Em conclusão, podemos assim afirmar que os doentes com Colecistite Aguda operados por técnica laparoscópica têm melhor Qualidade de Vida do que os doentes submetidos a intervenção cirúrgica clássica.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicopatologia e Psicologia Clínica
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/420
Aparece nas colecções:PCLI - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM CAST-F1.pdf5,07 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.