Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/4143
Título: A avaliação dos modelos internos de vinculação em crianças no pré-escolar
Autor: Rebelo, Ana Sofia Garcia
Orientador: Veríssimo, Manuela
Palavras-chave: Vinculação
Modelos internos
Narrativas
Attachment
Internal working models
Narratives
Data de Defesa: 2008
Resumo: As crianças na idade do pré-escolar formam representações mentais ou modelos internos das relações de vinculação e ao longo do tempo são capazes de contar com essas representações para se sentirem seguras, mesmo na ausência da figura de vinculação. Alguns autores sugerem que nesta idade é possível aceder a estes modelos internos formados pelas crianças, através do método de finalização das narrativas. No presente estudo foram avaliadas 69 crianças portuguesas do pré-escolar com o Attachment Story Completion Task (ASCT) (Bretherton & Ridgeway, 1990). Cada história está formulada de forma a desencadear respostas correspondentes a uma questão particular da vinculação. Com este instrumento pretendeu-se aceder aos modelos internos das crianças e avaliar os valores de Segurança, Coerência e Resolução. Da análise que foi efectuada, constatou-se que este instrumento é apropriado para avaliar os modelos internos de vinculação na referida amostra, verificando-se correlações positivas e significativas entre os mesmos. Da análise das histórias, a figura que foi preferencialmente escolhida pelas crianças para resolver o problema central das mesmas foi a mãe, o que está relacionados com o facto da mãe ser a figura que frequentemente presta os cuidados e responde às necessidades de conforto, alimentação e afecto da criança. Estes dados evidenciam que as narrativas das crianças no ASCT parecem restabelecer o que estas experienciam com as suas figuras parentais na relação de vinculação e uma produção apropriada de narrativas por parte das crianças pode providenciar o acesso a um script de base segura.
ABSTRACT: Children in pre-school age form mental representations or internal working models of attachment relationships and are able to use these representations in order to fell secure, even in the absence of the attachment figure. Some authors suggest that in this age it is possible to access these internal models, through the development of narratives. Sixty-nine portuguese children were studied through the Attachment Story Completion Task (ASCT) (Bretherton and Ridgeway, 1990). Each history is formulated to unleash corresponding answers to a particular question of attachment. With this instrument it was possible to access children’ internal models and to value the Security, Coherence and Resolution. Positive and significant correlations were found between the values, which validates the usage of this instrument in valuating internal working models. The results show that the mother was the most chosen figure by the children to resolve the central problem, which makes sense, since it is the mother who more frequently provides care and responds to the necessities of comfort, food and affection of the child. These results show that the ASCT narratives not only portrait the experiences between the children and their parental figures, but also allow us to access a secure base scrip.
Descrição: Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/4143
Designação: Mestrado em Psicologia Educacional
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
15558.pdf179,6 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.