Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/4115
Título: Falsas confissões e contexto de investigação : A perspectiva dos investigadores
Autor: Silva, Inês Gonçalves Gomes Matos
Orientador: Pais, Lúcia Maria de Sousa Gomes Gouveia
Palavras-chave: Falsa–confissão
Confissão
Núcleo de investigação criminal
False-confessions
Confessions
Criminal investigation department
Data de Defesa: 2008
Resumo: falsa-confissão é um fenómeno que sucede durante o interrogatório policial feito a um suspeito, em que este assume as culpas de um crime que não cometeu saindo o verdadeiro culpado impune. Este fenómeno tem sido investigado maioritariamente nos Estados Unidos e Inglaterra, em que investigadores como Kassin e Gudjonsson têm feito vários estudos empíricos para tentar entender como surgem, porquê e que factores lhes estão associados. O este estudo pretende compreender como este fenómeno ocorre em Portugal, dando aos investigadores policiais a palavra. Desejamos entender qual a perspectiva dos investigadores policiais acerca do aparecimento das falsas-confissões e tudo o que lhes está associado, como a confissão e o interrogatório. Para alcançar o nosso objectivo optámos por um estudo exploratório e utilizámos como instrumento de recolha uma entrevista semi-estruturada. Esta foi aplicada a 60 investigadores policiais que trabalham no âmbito da Investigação Criminal, em diferentes núcleos. Como instrumento de análise utilizámos a análise de conteúdo. Os resultados mostram que os investigadores pertencentes a diferentes núcleos de investigação (NIC, NMUME e NIC-D) apresentam diferentes perspectivas em relação à falsa-confissão e aos temas que lhe estão associados. Os três grupos de investigadores destacam a importância que as técnicas de interrogatório possuem como factor que influencia a falsa confissão e a confissão, sendo os pertencentes ao NMUME que maior importância lhe atribui, assumindo-as como factor facilitador da confissão e inibidor da falsa confissão.
ABSTRACT: False confessions are a phenomenon that occurs during the interrogation of a suspect, he falsely confesses doing a crime that did not committed, while the real guilty of the crime goes unpunished. This phenomenon have been documented, mostly in the United States of America and in The United Kingdom, by investigators like Gudjonsson and Kassin, who tried to understand how they appear, why and what factors can they be associated with. The aim of this study is to understand how this phenomenon occurs in Portugal, giving voice to the police officers. We wish to understand the perspective of these police officers about false confessions and everything associated with, like confessions and interrogation. To achieve our goal it was chosen an exploratory methodology and used a semi structured interview as an instrument of research. This was applied to sixty police officers from the Guarda Nacional Republicana, who works in the criminal investigation field, in different departments. As an instrument of analysis it was used an analysis of content. Results show that the different departments from whom the police officers are from (NIC, NMUME and NIC-D) show different perspectives about false confessions and the themes that are associated with. All of the investigators give more importance to the interrogation techniques as a factor that intervenes in false confessions and confessions, being the investigators from NMUME who assume they are a factor that facilitate the confession and a factor that inhibit the false confession.
Descrição: Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/4115
Designação: Mestrado em Psicologia Clínica
Aparece nas colecções:PCLI - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
12522.pdf893,22 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.