Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/4054
Título: Relações de amizade em crianças com incapacidade inseridas em contexto pré-escolar inclusivo
Autor: Rendeiro, Ana Marta Afonso Vaz
Orientador: Aguiar, Cecília
Palavras-chave: Amizade
Incapacidade
Inclusão
Pré-escolar
Friendship
Disability
Inclusion
Preschool
Data de Defesa: 2009
Resumo: Os benefícios da inclusão de crianças com incapacidades em contextos pré-escolares, ao nível do desenvolvimento social, têm merecido interesse por parte dos investigadores. No entanto, verificam-se ainda lacunas no que respeita às relações de amizade entre crianças com estas características e os seus pares sem incapacidades (Buysse, 1993). Deste modo, neste estudo pretendeu-se averiguar (a) se as crianças com incapacidades formam relações de amizade recíprocas no contexto de jardim-de-infância, (b) quais as características desses amigos, ao nível do género, etnia/raça e idade, (c) se existe concordância entre o número de amigos das crianças com incapacidades identificados com base em dados sociométricos e o número de amigos especiais identificados pela educadora do grupo e (d) se existe relação entre o grau de incapacidade das crianças e o número de amizades que estabelecem. O estudo contou com a participação de 41 crianças com incapacidades, inseridas em contextos pré-escolares. De acordo com os resultados obtidos, (a) não existem diferenças entre o número médio de amizades formado pelas crianças com incapacidades e os seus pares com desenvolvimento típico; (b) não existem diferenças estatisticamente significativas no que respeita ao género, etnia e idade dos amigos recíprocos destas crianças; (c) existe uma concordância entre o número de amigos recíprocos das crianças com incapacidades e os amigos especiais destas crianças identificados pela educadora e (d) não existe uma associação entre o número de amizades recíprocas das crianças e o grau de severidade da sua incapacidade.
ABSTRACT: The benefits (in terms of social development) of including children with disabilities in preschool contexts have deserved major interest in terms of research. However, various gaps still exist in respect to friendship relations between these children and other children without disabilities (Buysse, 1993). In this sense, throughout this study we tried to investigate: (a) if children with disabilities have mutual friendship relations in the preschool context; (b) the characteristics of these friends in terms of gender, race, and age; (c) the relation between how many friends children with disabilities have (friendships defined on a sociometric data basis) and how many special friends are identified by the regular teacher; (d) the possible relation between the degree of the disability revealed by the children and the number of friendships they make. Our research was made with the participation of 41 children with disabilities attending a preschool context. In accordance with the results, our conclusions are: (a) there is no difference between the average number of mutual friendships made by children with disabilities and their peers with typical development; (b) in terms of mutual friends, there is no statistically relevant difference in relation to gender, race, or age; (c) there are no differences between the number of mutual friends of children with disabilities and the number of special friends identified by the regular teacher; (d) there is no relation between the number of mutual friendships and the degree of the disability.
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/4054
Designação: Mestrado em Psicologia Aplicada
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
13422.pdf907,31 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.