Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/3778
Título: Raciocínio dedutivo na depressão
Autor: Henriques, Andreia Sofia Pereira
Orientador: Quelhas, Ana Cristina
Palavras-chave: Raciocínio dedutivo
Depressão
Silogismos
Deductive reasoning
Depression
Syllogisms
Data de Defesa: 2011
Resumo: O presente trabalho visou investigar o raciocínio na depressão. A tarefa utilizada para avaliar o desempenho dos sujeitos, foi elaborada a partir de silogismos lineares que envolviam inferências transitivas com valência positiva, neutra ou negativa. A amostra foi recolhida entre pacientes da consulta externa de Psicologia de um hospital geral e entre funcionários de estabelecimentos da mesma zona. Com base nos scores obtidos através da avaliação do grau de depressão (BDI-II) e do grau de ansiedade (STAI-Y) a amostra foi dividida entre sujeitos com depressão moderada/grave e sujeitos com ausência de depressão. A hipótese geral era de que os sujeitos deprimidos deviam ser mais precisos que os "normais" (entenda-se, com ausência de depressão) para a informação negativa, enquanto os sujeitos normais deviam mostrar maior precisão face à informação positiva. Com base nos resultados, é possível afirmar que estes vão de acordo com o preconizado nas hipóteses, já que se confirma a existência de um enviesamento positivo para os sujeitos não deprimidos e, embora o enviesamento negativo não se confirme para os sujeitos deprimidos, o facto de não apresentarem também um enviesamento positivo, corrobora a hipótese geral do estudo. Pensa-se, que existem fortes probabilidades dos sujeitos deprimidos apresentarem esse enviesamento negativo, caso o estudo seja realizado com uma amostra de maior dimensão.
ABSTRACT: This paper is focused on the investigation of the reasoning in depression. Developing the hypothesis through the evaluation of the subjects’ performance, the used method draws on concepts from linear syllogisms involving transitive inferences of positive, neutral or negative value. The sample was selected from External Psychology Consult patients of a general Hospital and from employees of establishments of the same area. Based on the scores from the evaluation of the severity of the depression (BDI-II) and from the evaluation of the anxiety level (STAI-Y), the sample was divided in subjects with serious/severe depression and subjects with no depression. The general hypothesis built on the notion that depressed subjects should be more precise towards negative information than “normal” subjects (i.e., with no depression), while "normal" subjects should be more precise towards positive information. Based on the results, it can be said that these are in accordance with the hypothesis, since it confirms the existence of a positive bias towards the non-depressed subjects and, although there is no confirmation for a negative bias for the depressed subjected, the failure to submit a positive bias too, supports the general hypothesis of the study. However, we think that, with further analysis on bigger samples, the negative bias in depressed subjects should take place.
Descrição: Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/3778
Designação: Mestrado em Psicologia Clínica
Aparece nas colecções:PCLI - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
14745.pdf2,02 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.