Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/3773
Título: “Pinturas selvagens” de Miró : A coexistência de dois mundos na expressão da sua obra
Autor: Santos, João Miguel Brás Fernandes dos
Orientador: Gonzalez, António José C. A.
Palavras-chave: Miró
Sublimação
Reparação
Transformar
Acto criativo
Sublimation
Reparation
Transform
Creative act
Data de Defesa: 2011
Resumo: Pretendemos com este trabalho realizar uma reflexão teórica relativa à influência do mundo externo no mundo interno de Miró e de que modo se traduz na sua produção artística, mais especificamente no seu “Período Selvagem” (1934-1938). Considerámos este período como sendo um dos mais significativos por registar uma das maiores viragens na obra do pintor, passando de uma criação estruturada para um estilo intuitivo, mais subjectivo, repleto de conteúdos monstruosos envoltos em contextos dramáticos e obscuros, como que se num tom premonitório aos conflitos que viriam a ocorrer. Procurámos encontrar na teoria de sublimação de Freud, nas teorizações acerca da reparação de Klein e nas teorias sobre o pensar, o transformar e o criar de Bion lentes e perspectivas que nos ajudassem a compreender os processos pelos quais o acto criativo surge como um acto reparador; e de que modo as pressões e os estímulos do mundo externo são transformados, moldando e recriando o nosso mundo interno, a nossa rede continente. Dividimos a nossa análise em dois pontos distintos: uma interpretação pessoal conjugada com uma interpretação de Jacques Dupin, um crítico de arte francês especialista em Miró e uma análise pessoal relativa às estruturas defensivas presentes na posição depressiva. Pretendemos com este trabalho adquirir um maior conhecimento sobre a influência do mundo externo no mundo interno do artista e qual o papel da criação artística enquanto um processo reparador.
ABSTRACT: With this work we intent to make a theoretical reflection related to the influence of the external world on Miró’s internal world and in what way this influence will affect his artistic production, to be more precise, how it affected his artistic production on his “Wild Period” (1934-1938). We have considered this period as one of the most significant, since it can be seen one of the biggest turnarounds on the painter’s work, going from a structured method of creating to a more intuitive and subjective style, filled by monstrous contents wrapped by dramatic and obscure contents, as if he had a premonition about the conflicts that were about to occur. Through the theories of Freud about sublimation, the theories of Klein about reparation and Bion’s theorizations about thinking, transformation and creation we have tried to obtain a theoretical background that would help us understand the processes by which the creative act appears as a repairing act; and in which way the external pressures and stimuli are transformed, changing our internal world, our continent net. We have divided our analyses into two distinct points: a personal interpretation combined with Jacques Dupin’s, a French art critic, specialist in Miró’s work and a personal analysis of the defensive structures present on the depressive position. With this work we intent to acquire a greater knowledge about the influence of the external world on the internal world of the artist and what’s the role of the artistic creation as a process of reparation.
Descrição: Dissertação de Mestrado apresentada ao Instituto Superior de Psicologia Aplicada
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/3773
Designação: Mestrado em Psicologia Clínica
Aparece nas colecções:PCLI - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
14034.pdf1,83 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.