Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/364
Título: Pensamento psicopedagógico de João dos Santos
Autor: Branco, Maria Eugénia Carvalho e
Orientador: Araújo, Alberto Filipe de Abreu
Palavras-chave: Psicologia educacional
Educational psychology
Data de Defesa: 1999
Editora: Universidade do Minho - Instituto de Educação e Psicologia
Resumo: As notas autobiográficas que percorrem duma ponta à outra a obra de João dos Santos e que são o fio condutor para aceder à sua vida, pensamento e obra, remetem-nos para três pilares fundacionais do ser humano. O primeiro pilar é a Rememoração. Rememoração que remonta àquela relação privilegiada com a mãe primária — nem sempre a mãe natural, mas sempre a que acolheu, alimentou, amou e protegeu —, relação fontal na qual se jogou o futuro do homem. O segundo pilar fortalece os fundamentos do primeiro estimando-lhe o valor. É a Educação como capacidade de alguém se oferecer como modelo autêntico de pessoa. O terceiro pilar, que remata o edifício, é a Escola como instituição que possibilita a inserção na cultura e Obras da humanidade. Estes três pilares são reflectidos por João dos Santos, não só como objecto do seu pensamento e da sua obra, mas sobretudo como viagem que ele empreende ao seu mundo interior: a relação com a sua mãe e, através dela, com o seu pai e a restante família, como exemplo da importância que as imagos parentais e o afecto têm na saúde mental; a sua ajuda às dificuldades escolares de seus filhos, como exemplo da importância incontornável que uma presença vigilante e amorosa tem na aprendizagem. Esta viagem interior, que fundamenta tudo o que João dos Santos pensou, ensinou e fez, é repto para que cada um faça o mesmo: se conheça a si mesmo e se interesse pela educação das novas gerações. Eis porque a obra de João dos Santos é, na sua essência, um discurso psicopedagógico. Mas um discurso que não é constituído por um conjunto de "teorias", mas por uma narração da própria interioridade que se oferece como modelo de autenticidade, disponibilidade e amor. João dos Santos ilustra-o, quando afirma: «Cada pessoa é no seu Ser, é, em si própria, uma vivência, uma perspectiva e uma experiência inédita, porque a sua vivência é interioridade». O carácter autobiográfico da obra de João dos Santos é convite à rememoração e à tomada de consciência. Não para se ficar encerrado em si mesmo, mas para que, encontrando a criança que em nós persiste, sejamos capazes de amar as crianças que agora o são. Porque, como João dos Santos também afirma: «de Amor pelas crianças só são capazes aqueles que amam a criança que neles habita».
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/364
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM BRAN1.pdf73,04 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.