Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/359
Título: Influência de estímulos sociais no comportamento e níveis urinários de esteróides sexuais de machos de Oreochromis Mossambicus Peters (Pisces: Cichidae)
Autor: Borges, Rita Alexandra
Orientador: Almada, Vítor Carvalho
Palavras-chave: Etologia
Ethology
Data de Defesa: 1996
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: A primeira parte do presente trabalho teve como objectivo o estudo da influência de estímulos sociais sobre aspectos comportamentais de machos de O. mossambicus. Tentou-se clarificar que tipo de canais sensoriais estão envolvidos na percepção desses estímulos. Para tal, foram sujeitos 13 machos a três situações experimentais com diferentes graus de acesso (total, visual e químico) a uma fêmea e a um macho da mesma espécie. Estímulos visuais parecem ser importantes no reconhecimento sexual e na estimulação da actividade locomotora, escavação de ninho, proximidade e coloração apresentados pelo macho. No entanto as respostas observadas tiveram sempre maior amplitude quando o acesso era total. Embora não tenha sido detectada a influência de estímulos químicos libertos pelas fêmeas, não se eliminou essa hipótese. Na situação de acesso total, estudou-se a interacção entre os dois indivíduos. Apenas se observaram comportamentos sexuais e escavação de ninho na presença de uma fêmea; a frequência de comportamentos agonísticos foi superior na presença de um macho intruso. A segunda parte deste trabalho teve como objectivo o estudo da influência de estímulos sociais nos níveis urinários de esteróides sexuais dos machos de O. mossambicus. Na presença de uma fêmea, apenas se verificou um aumento dos níveis de androgénios, Testosterona (T) e 11-Cetotestosterona (11-KT), tendo sido esse aumento mais rápido no último caso. Houve um aumento das correlações entre os níveis desta hormona e a frequência de comportamentos sexuais e a coloração do macho (positivas) e a frequência de comportamentos agonísticos (negativa); na presença de um macho não houve aumento dos níveis hormonais, embora se tenha verificado um aumento da correlação (positiva) entre os níveis de 11-KT e a frequência de comportamentos agonísticos. Propõe-se que a 11-KT poderá activar respostas comportamentais diferentes na presença de estímulos sociais diferentes. Os níveis de progestinas (17,20 αP e 17,20 β-P) não variaram, ao contrário do que seria de esperar com base em trabalhos anteriores, o que poderá dever-se ao estado de maturação dos indivíduos. As fracções mais representativas dos níveis de progestinas eram as glucuronizadas; estes compostos poderão funcionar como sinalizadores das arenas reprodutivas para as fêmeas conspecíficas.
Descrição: Disetação de mestrado em Etologia
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/359
Aparece nas colecções:PBIO - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM BORG1.pdf4,6 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.