Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/3527
Título: Reconhecimento de aprendizagens ao longo da vida e empowerment
Autor: Miguel, Marta Cristina Trindade
Orientador: Ornelas, José H.
Maroco, João
Palavras-chave: Lifelong Learning
Recognition of Prior Learning
Psychological Empowerment
Empowerment Scales
Aprendizagem ao Longo da Vida
Reconhecimento de Aprendizagens Prévias
Empowerment Psicológico
Escalas de Empowerment
Community Development
Desenvolvimento Comunitário
Data de Defesa: 2015
Editora: ISPA: Instituto Universitário
Resumo: A narrativa atual de aprendizagem ao longo da vida apela à necessidade constante de aquisição de conhecimentos e competências para fazer face às constantes mudanças da sociedade moderna, reconhecendo que essas aprendizagens vão além da educação e formação formal, incluindo a aprendizagem decorrente da experiência de vida em diferentes contextos. O reconhecimento de aprendizagens prévias é um processo de avaliação dos conhecimentos e competências adquiridos ao longo da vida, permitindo que sejam formalmente reconhecidos pelos sistemas de qualificação. Este estudo procurou perceber as mudanças promovidas pelo processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências nas pessoas que obtiveram por este meio uma certificação escolar, nomeadamente em termos de empowerment psicológico, e contribuir para a validação de um instrumento de medida e de um modelo de empowerment psicológico na população portuguesa. Numa primeira fase, realizaram-se entrevistas com 21 participantes no processo de reconhecimento de competências, nas quais se exploraram as suas motivações e perspetivas, e a partir das quais foi construída uma escala para avaliação das mudanças nos participantes. Numa segunda fase, um questionário, que integrava a escala de mudanças e três escalas de empowerment psicológico, foi aplicado a 227 adultos que concluíram o processo obtendo uma certificação escolar para avaliar os resultados do programa. O mesmo questionário, mas apenas com as escalas de empowerment, foi aplicado a 50 adultos inscritos para avaliação dos níveis de empowerment psicológico. A análise das entrevistas revelou que apesar de os participantes terem como principais motivações mudanças a nível profissional, os resultados percecionados foram maioritariamente a nível pessoal. A análise fatorial exploratória da escala de mudanças nos participantes identificou o fator mudanças pessoais com fiabilidade. As mudanças pessoais foram influenciadas pelo nível de qualificação formal e pelo tempo de certificação. Um modelo de empowerment psicológico foi testado de forma reflexiva e formativa através da análise de equações estruturais. Ambos os modelos de mensuração revelaram-se válidos, mas o reflexivo demonstrou maior força e significância dos indicadores. A análise fatorial confirmatória do modelo reflexivo confirmou o empowerment psicológico como fator hierárquico de terceira ordem, com todos os fatores a apresentarem valores elevados de fiabilidade. Os fatores de segunda ordem correspondem ao empowerment intrapessoal, ao empowerment interacional e ao empowerment comportamental. Estes refletem-se nos fatores de primeira ordem competência de liderança, controlo de políticas (empowerment intrapessoal), conhecimento da fonte de poder, conhecimento da natureza do poder, conhecimento dos instrumentos de poder (empowerment interacional) e comportamentos participativos (empowerment comportamental). Os valores gerais de empowerment psicológico foram positivos, com valores mais elevados de empowerment interacional e mais baixos de empowerment comportamental, o que sugere compreensão dos métodos requeridos para provocar mudança, mas falta de participação em atividades com potencial para provocar mudança. Os participantes que concluíram o processo de reconhecimento apresentaram níveis de empowerment psicológico significativamente superiores aos dos participantes apenas inscritos. O género, a situação profissional, o rendimento familiar, a qualificação formal, o nível de certificação e as mudanças pessoais foram caraterísticas que revelaram influência sobre os fatores de empowerment psicológico. ABSTRACT : The current narrative of lifelong learning calls for the constant need to acquire knowledge and skills to cope with the constant changes of modern society, recognizing that learning goes beyond the formal education and training, including learning resulting from life experience in different contexts. Recognition of prior learning is a process of assessment of knowledge and skills acquired throughout life, allowing them to be formally recognized by the qualification systems. This study sought to understand the changes promoted by the process of Recognition, Validation and Certification of Competences in people who had by this mean an academic accreditation, particularly in terms of psychological empowerment, and contribute to the validation of a measuring instrument and a model of psychological empowerment in the Portuguese population. Initially, interviews were conducted with 21 participants in the process of recognition of competencies, in which their motivations and perspectives were explored, and from which a scale to assess changes in participants was constructed. In a second phase, a questionnaire, which included the scale of changes and three scales of psychological empowerment, was applied to 227 adults who completed the process obtaining a school certificate to assess program results. The same questionnaire, but only with scales of empowerment, was applied to 50 adults registered for assessing levels of psychological empowerment. The analysis showed that although participants were mainly motivated by changes at professional level, the results were mostly perceived at personal level. The exploratory factor analysis of the scale of changes identified the factor personal changes with reliability. The personal changes were influenced by the level of formal qualification and by the time of certification. A third order model of psychological empowerment was tested in reflective and formative approaches by analysis of structural equations. Both measurement models have proved to be valid, but the reflective model demonstrated greater strength and significance of indicators. Confirmatory factor analysis of the reflective model confirmed the psychological empowerment as hierarchical third order factor, with all the factors presenting high levels of reliability. The second order factors correspond to intrapersonal empowerment, interactional empowerment and behavioral empowerment. These are reflected in the first-order factors leadership competency, policy control (intrapersonal empowerment), knowledge of the source of power, knowledge of the nature of power, knowledge of the instruments of power (interacional empowerment) and participatory behavior (behavioral empowerment). The general values of psychological empowerment were positive, with higher values in interactional empowerment and lower in behavioral empowerment, suggesting understanding of the methods required to cause change, but lack of participation in activities with the potential to cause change. Participants who completed the process of recognition had higher levels of psychological empowerment significantly higher than those participants only registered. Gender, employment status, household income, formal qualification, certification level and the personal changes were revealed features that influence the factors of psychological empowerment.
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/3527
Designação: Doutoramento em Psicologia
Aparece nas colecções:PBIO - Tese de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TES MIGU1.pdf1,82 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.