Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/3465
Título: O paradigma de atribuição de atitudes
Autor: Hagá, Sara
Palavras-chave: Atribuição causal
Atribuição de atitudes
Enviesamento correspondente
Inferência disposicional
Attitude attribution
Causal attribution
Correspondence bias
Dispositional inference
Data: 2012
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Citação: Laboratório de Psicologia, 10, 339-352
Resumo: O paradigma de atribuição de atitudes (Jones & Harris, 1967) deu origem à identificação de um efeito incontornável na área de estudos da percepção de pessoas: o enviesamento correspondente. Neste paradigma os participantes são confrontados com a opinião de outra pessoa que supostamente pôde escolher emitir aquela opinião ou foi constrangida a emiti-la. A tarefa dos participantes é tentar inferir a verdadeira atitude da pessoa. Consistentemente, ao longo de várias aplicações deste paradigma, tem-se verificado que as pessoas inferem que a atitude da outra pessoa corresponde à opinião que emitiu, mesmo nos casos em que foi constrangida a fazê-lo, ou seja, o enviesamento correspondente tem-se replicado. Neste artigo traçam-se as principais características do paradigma, descrevem-se duas das suas variações, referem-se alguns dos exemplos de aplicação do mesmo, enumeram-se algumas das variáveis estudadas como moderadoras do enviesamento correspondente e discutem-se as explicações teóricas deste efeito.
ABSTRACT: The attitude attribution paradigm (Jones & Harris, 1967) led to the identification of an unavoidable effect in the person perception research field: the correspondence bias. In this paradigm participants are confronted with the opinion of another person who supposedly could either choose to offer that opinion or was constrained to offer it. The participants' task is to try to infer the person’s true attitude. Consistently, over several applications of this paradigm, it has been found that people infer that the other person’s attitude matches the opinion that was offered, even in cases in which the other person was constrained to do so. In other words, the correspondence bias has been replicated. In this paper I sketch the main characteristics of the paradigm, describe two of its variations, refer to some examples of its application, list a few of the variables studied as moderators of the correspondence bias, and discuss the theoretical explanations of this effect.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/3465
ISSN: 1646-6004
Aparece nas colecções:MTI - Artigos em revistas nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
LP_10_339-352.pdf72,84 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.