Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/3406
Título: Abuso sexual na infância e adolescência : Resiliência, competência e coping
Autor: Antunes, Carla
Machado, Carla
Palavras-chave: Abuso sexual
Coping
Recuperação
Resiliência
Coping
Recovery
Resilience
Sexual abuse
Data: 2012
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Citação: Análise Psicológica, 30, 63-77
Resumo: O presente trabalho reporta uma revisão crítica da literatura ao nível da resiliência no domínio do abuso sexual na infância e adolescência. Esta é uma área que tem sido pouco explorada, em certa medida, devido a problemas metodológicos e de conceptualização do constructo. Não obstante a diversidade e controvérsia de propostas conceptuais, é relativamente consensual que a resiliência não é sinónimo de invulnerabilidade mas que significa uma maior capacidade da criança/jovem para manter o curso desenvolvimental normativo face a uma situação de stress ou adversidade. Assim, no presente artigo é discutido o conceito de resiliência enquanto resultado desenvolvimental adaptativo na sequência de uma experiência adversa. Neste âmbito, são exploradas as principais linhas de investigação nas últimas décadas, e sistematizadas conclusões centrais neste domínio. Do mesmo modo, são ainda definidos desafios e direcções futuras em termos de investigação. As conclusões da presente revisão advertem para o papel interactivo e generativo da criança/jovem vítima e dos seus contextos de vida no percurso de mudança desenvolvimental. Neste sentido, a adaptação positiva não é uma tarefa individual da vítima mas de todos os intervenientes envolvidos, nomeadamente em termos de disponibilidade de condições e redes de suporte favoráveis a uma recuperação adaptativa.
ABSTRACT: This manuscript reports a critical review on resilience in the field of sexual abuse in childhood and adolescence. This is an area that has been little explored, to some extent, due to methodological problems and conceptualization of the construct. Despite the diversity and controversy of conceptual proposals, it is relatively consensual that resilience does not mean invulnerability, but it means a greater ability of the child/youth to maintain the normative developmental course in a situation of stress or adversity. In the present article it is discussed the concept of resilience as adaptive developmental outcome following an adverse experience. In this context, are explored the main lines of research in recent decades and systematized central conclusions in this area. Likewise, are still defined challenges and set future directions in research. The conclusions of this review warn for the role of interactive and generative child/youth victims and their life contexts on the course of developmental change. In this sense, the positive adaptation is not an individual task of the victim but of all those involved, particularly in terms of conditions and availability of support networks favorable to an adaptive recovery.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/3406
ISSN: 0870-8231
Aparece nas colecções:PLEG - Artigos em revistas nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
AP_30_63-77.pdf91,42 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.