Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/3384
Título: O papel dos melhores amigos e do grupo de pares nas trajectórias de retirada social durante a adolescência
Autor: Freitas, Miguel da Costa Nunes de
Orientador: Santos, António José
Palavras-chave: Retirada social
Grupo de pares
Amizade
Ajustamento psicossocial
Social withdrawal
Peer group
Friendship
Psycho-social adjustment
Data de Defesa: 2014
Resumo: A investigação tem revelado uma heterogeneidade significativa na vivência da retirada social ao longo do desenvolvimento, não só nos seus correlatos ao nível do grupo de pares e das relações de amizade, mas também nas trajectórias longitudinais de cada indivíduo. No entanto, pouco ainda se conhece sobre possíveis fontes desta variabilidade na adolescência. Utilizando uma amostra normativa integrada num projecto de investigação longitudinal ainda em curso, procurámos atingir três grandes objectivos: 1) testar a estrutura factorial, através de uma análise factorial confirmatória, da versão portuguesa do Friendship Quality Questionnaire, um instrumento que permite avaliar a percepção que os adolescentes têm de diferentes aspectos qualitativos das suas amizades; 2) explorar, através de análises de regressão hierárquica múltipla num delineamento transversal, se as associações entre a retirada social e as experiências com os pares (exclusão, vitimização, popularidade e aceitação) variam em função da exibição de comportamento pró-social (uma característica habitualmente valorizada pelos pares), das dimensões da qualidade da amizade e também do sexo — depois de controlar os efeitos da participação em amizades recíprocas; 3) examinar longitudinalmente a heterogeneidade e as diferenças individuais na evolução desenvolvimental da retirada social durante três anos, através da análise de General Growth Mixture Modeling para identificar subgrupos distintos de indivíduos com diferentes trajectórias, bem como os factores que prevêem a mudança e o crescimento, e ainda quais as consequências desenvolvimentais dos diferentes percursos. Os nossos resultados suportaram a qualidade do ajustamento do modelo hexafactorial do FQQ proposto pelos autores, que revelou também bons níveis de fiabilidade e validade. O nosso estudo transversal demonstrou que a retirada social está associada a dificuldades com os pares e que o comportamento pró-social está ligado ao sucesso nessas interacções. Os efeitos de moderação, porém, apresentaram resultados mistos: para os jovens socialmente retirados, o comportamento pró-social, as amizades pouco conflituosas e caracterizadas por maior validação e cuidado parecem ser factores protectores da exclusão; pelo contrário, a exclusão e a partilha de intimidade aumentam o risco de menor aceitação pelos pares. As análises longitudinais identificaram três trajectórias distintas de retirada social: uma classe Normativa (80%), com níveis reduzidos e estáveis; uma classe Crescente (9%), com níveis iniciais baixos ou moderados, mas com tendência para o agravamento; e uma classe Decrescente, com níveis iniciais elevados, mas que se aproximam gradualmente da classe Normativa. As covariáveis incluídas no modelo, como a adversidade com os pares e o comportamento pró-social, ou características das amizades, como a reciprocidade, estabilidade e qualidade, apresentam padrões de associação específicos com cada uma das trajectórias identificadas. Por fim, constatou-se também que as classes Decrescente e Crescente se distinguem da Normativa no risco de desajustamento psicossocial, estando associadas a dificuldades distintas.
ABSTRACT: Research has revealed significant heterogeneity in the experience of social withdrawal throughout development, particularly in the dyadic and group-level peer outcomes, as well as in longitudinal individual trajectories. However, little is known about possible sources of this heterogeneity during adolescence. Using a normative sample from an ongoing longitudinal research project, our main goals were: 1) to test the factor structure, by means of a confirmatory factor analysis, of the Friendship Quality Questionnaire’s Portuguese version, an instrument that assesses adolescents’ perceptions of different qualitative features of their best friendships; 2) to explore, using multiple hierarchical regression analyses, whether the concurrent associations between peer-nominated socially-withdrawn behaviors and four group-level peer outcomes (exclusion, victimization, popularity, peer acceptance) varied as a function of prosocial behavior (usually, a peer-valued characteristic), friendship quality dimensions and gender, after accounting for the effects of involvement in mutual friendships; 3) to examine longitudinally the heterogeneity and individual differences in the developmental course of social withdrawal during three consecutive years, using General Growth Mixture Modeling to identify distinct pathways of social withdrawal, differentiate valid subgroup trajectories, analyze factors that predicted change and growth in trajectories within subgroups, and also what the developmental outcomes are for the different trajectory classes. Our results supported the goodness-of-fit of the proposed model, as well as its reliability and validity. Cross-sectional regression analyses revealed that social withdrawal predicted peer difficulties and that prosocial behavior is positively related to the success in peer interactions. The moderation effects, however, showed mixed results: prosocial behavior, low friendship conflict and highly validating and caring friends may protect from exclusion adolescents who are high on social withdrawal; on the contrary, peer exclusion and friendship intimate disclosure may increase the risk of lower peer acceptance for these adolescents. On the longitudinal analyses, three distinct pathways of social withdrawal were identified: a Normative class (80%), an Increasing class (9%), with initial low or moderate levels of social withdrawal that are gradually rising; a Decreasing class (11%), with high initial levels of social withdrawal that gradually narrowed to the normative group’s values. The covariates included in the model — peer adversity, prosocial behavior and friendship characteristics, such as reciprocity, stability and quality — showed patterns of association specific to each of the identified trajectories. Finally, decreasing and Increasing classes were also differentiated from the Normative class on a number of outcomes, suggesting that they are associated with a higher risk of maladaptation.
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/3384
Designação: Doutoramento em Psicologia
Aparece nas colecções:PCLI - Tese de doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TES FREI1.pdfTese de Doutoramento apresentada ao ISPA - Instituto Universitário 2,93 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.