Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/329
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorVeríssimo, Manuelapor
dc.contributor.authorBacalhau, Ana Isabel dos Santos-
dc.date.accessioned2011-01-08T16:40:56Z-
dc.date.available2011-01-08T16:40:56Z-
dc.date.issued2003-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10400.12/329-
dc.descriptionDissertação de Mestrado em Psicologia Educacionalpor
dc.description.abstractNos últimos anos a investigação tem enfatizado a importância da relação de pares na socialização das crianças e adolescentes. Os grupos de pares e a diversidade de relações que se desenvolvem no seu seio, contribuem em larga escala para o bem estar emocional e cognitivo da criança, uma vez que assume o papel de agente socializador na adopção de comportamentos prosociais, atitudes e valores para o desempenho e adaptação social. A entrada para a escolaridade representa uma mudança para muitas crianças, já que a integração no mundo social pode influenciar este processo Existem uma serie de requisitos necessários para o estabelecimento e manutenção de amizades, entre os quais se destacam a capacidade de se constituir como suporte e apoio dos pares e a capacidade de lidar com os conflitos de forma adequada. A qualidade da amizade que se tem com os pares e o seu estatuto social poderão influenciar um pouco mais a adaptação positiva ou menos positiva ao mundo social. As investigações sobre ajustamento de pares têm estado centradas nas diferenças sociais que enfatizam níveis de rejeição ou aceitação. Contudo, nos últimos anos, começou a surgir uma maior preocupação com os vários comportamentos e processos sócio-cognitivos que poderão influenciar o estatuto social no grupo de pares. O ajustamento de pares pode ser organizado em tomo do constructo da amizade, onde ter uma adaptação de sucesso ou insucesso inclui ter amigos recíprocos e qualidade de relacionamento, podendo esta qualidade estar relacionada com qualidade da amizade. Este trabalho procura constituir um contributo para a compreensão do vasto campo que é a amizade entre crianças (neste caso 9/10 anos). Aquilo que nos propomos perceber será o facto da existência ou não de alguma relação entre amizade, reciprocidade e qualidade da amizade.por
dc.language.isoporpor
dc.publisherInstituto Superior de Psicologia Aplicadapor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectPsicologia educacionalpor
dc.subjectAmizadepor
dc.subjectQualidadepor
dc.subjectDesenvolvimento socialpor
dc.subjectSociometriapor
dc.subjectEducational psychologypor
dc.subjectQualitypor
dc.subjectSocial developmentpor
dc.subjectSociometrypor
dc.titleAmizade, reciprocidade e qualidade: A relação existe?por
dc.typemasterThesispor
degois.publication.locationLisboapor
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM BACA1.pdf3,86 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.