Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/3193
Título: Desenvolvimento de competências no pré‐escolar : A importância das práticas de escrita inventada
Outros títulos: Preschool skill development : The importance of invented spelling activities
Autor: Martins, Maria Inês de Vasconcelos Braga Horta
Martins, Margarida Alves
Palavras-chave: Programas de escrita inventada
Procedimentos de fonetização
Conhecimento das letras
Consciência fonológica
Invented spelling programmes
Preschool children
Phonetization procedures
Letter knowledge
Phonological awareness
Data: 2014
Editora: Associação Portuguesa de Psicologia
Citação: Psicologia, 28(1), 41-51
Resumo: Este estudo pretende compreender a importância das práticas de escrita inventada no pré-escolar, analisando os efeitos de dois programas de escrita inventada e as correlações entre consciência fonológica e conhecimento das letras e os procedimentos de fonetização. Os 56 participantes foram divididos em dois grupos experimentais e um grupo de controlo. As escritas das crianças foram avaliadas nos pré e pós-testes. Entre ambos, G1 trabalhou as correspondências grafo-fonológicas de fricativas e G2 de oclusivas. Os resultados mostram que os participantes de ambos os grupos experimentais progrediram mais do que os do grupo de controlo, sem diferenças significativas entre os grupos experimentais. Nestes grupos, os participantes fonetizaram correctamente os fonemas trabalhados e também fonemas não trabalhados. Os resultados indicaram ainda que o número de letras conhecidas no pré-teste tem uma correlação significativa com o número de fonetizações no pós-teste, não se verificando o mesmo para a consciência fonológica.
ABSTRACT: This study aims to understand the importance of invented spelling activities in preschool, through the analysis of the effects of two invented spelling programmes, and to understand the correlations between phonological awareness and knowledge of letters and the phonetization procedures. Fifty-six five-year-old were divided into two experimental groups and one control group. Children’s spellings were accessed in the pre and post-tests. In between, G1 worked the grapho-phonetic correspondences of fricatives and G2 of stop consonants. Results show that both experimental groups achieved greater progress in spelling than the control group with no statistically significant differences between the experimental groups. In these groups the participants were able to spell the worked phonemes and also non worked phonemes. The results also indicated that the number of letters known in the pre-test has a significant correlation with the number of phonetizations in the post-test, whereas phonological awareness does not.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/3193
ISSN: 2183-­2471
Aparece nas colecções:UIPCDE - Artigos em revistas nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Psic_28_41-51.pdf437,99 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.