Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/301
Título: Diferenças de género na utilização de serviços de saúde: O papel das queixas subjectivas e das preocupações sobre os efeitos da modernidade na saúde
Autor: Alves, Nuno Miguel Ramalho Correia Simões
Palavras-chave: Psicologia da saúde
Género
Serviços de saúde
Queixas de saúde
Health psychology
Gender
Public service health
Health
Health complants
Data de Defesa: 2004
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: Os objectivos gerais deste estudo são (1) caracterizar as preocupações sobre os efeitos da modernidade na saúde e as queixas subjectivas de saúde, averiguando as suas diferenças entre homens e mulheres; (2) investigar a influência da afectividade negativa e da percepção individual de saúde nas queixas somáticas; (3) investigar em que medida o tipo de utilização de serviços de saúde é dependente do género; e (4) investigar em que medida a utilização de diferentes tipos de cuidados médicos, por homens e mulheres, está relacionada com o seu nível de queixas subjectivas de saúde específicas. Foi delineado um estudo transversal no qual uma amostra de 1113 participantes de ambos os sexos (64% do sexo feminino) preencheu um questionário que incluía medidas sobre o nível de preocupação sobre os efeitos da modernidade na saúde, queixas subjectivas de saúde, afectividade negativa, percepção individual de saúde, utilização de serviços de saúde e informação sócio-demográfica. Os resultados sugerem que o efeito dos alimentos contaminados na saúde é a maior preocupação dos participantes, enquanto que o que menos os preocupa são os efeitos da radiação. Em relação às queixas subjectivas de saúde, as pseudoneurológicas são as que se apresentam mais frequentemente. Verificamos que, em geral, existem diferenças de género quer nas preocupações sobre os efeitos da modernidade na saúde quer nas queixas subjectivas de saúde. Os resultados indicam que a percepção individual de saúde e a afectividade negativa são preditoras das queixas subjectivas de saúde. Sugerem também, que o padrão de utilização dos serviços de saúde difere entre homens e mulheres; e que os homens procuram os diferentes cuidados de saúde com um nível inferior de queixas subjectivas inferior ao das mulheres. Abordámos neste estudo, um novo tópico que poderá ter implicações para a saúde, a médio e longo prazo, quer do ponto de vista físico, quer psicológico. Julgamos ser um contributo importante para caracterizar o contexto português em termos das queixas subjectivas e das preocupações sobre os efeitos da modernidade na saúde, e fornecer indicadores sobre os comportamentos relacionados com a saúde na população portuguesa, destrinçando as diferenças entre homens e mulheres, no que se refere a esta temática. Além disso, o presente estudo salienta a emergência de novos temas relacionados com a saúde que parecem ter influência no processo de tomada de decisão sobre a procura de cuidados médicos, em homens e mulheres.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia da Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/301
Aparece nas colecções:PSAU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM ALVE-N1.pdf4,63 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.