Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/2584
Título: Tabagismo e a função sexual feminino
Autor: Peres, Luis
Orientador: Costa, Rui Miguel
Palavras-chave: Tabagismo
Função sexual feminina
Smoking
Femal sexual function
Data de Defesa: 2013
Editora: ISPA -Instituto Universitário
Resumo: Tabagismo é factor de risco da disfunção eréctil, mas a investigação sobre relações entre tabagismo e dificuldades sexuais femininas tem produzido muitos resultados nulos. Outra linha de investigação mostra que frequência e capacidade de orgasmo no coito vaginal são os comportamentos sexuais mais consistentemente associados a melhor função sexual. Contudo, maioritariamente, os estudos sobre as relações entre função sexual feminina e tabagismo não especificam comportamentos sexuais. O objectivo do presente estudo foi examinar numa amostra de conveniência de 145 mulheres portuguesas se ser fumadora estava associado a dificuldades sexuais, ora especificando, ora não, se ocorriam durante o coito. Também foi examinado se o grau de dependência pela nicotina se associava a dificuldades sexuais. Foi utilizada uma versão portuguesa do Female Sexual Function Index (FSFI), que inclui seis dimensões da função sexual feminina (desejo, excitação, lubrificação, orgasmo, satisfação e dor). Foi criado um questionário baseado no FSFI especificando o funcionamento durante o coito. Avaliou-se o grau de dependência pela nicotina com uma versão portuguesa do Fageström Test for Nicotine Dependence. Quer no subgrupo com coito no último mês, quer no subgrupo com alguma atividade sexual no mesmo período, não se verificou que fumar estivesse associado a pior função sexual. Contudo, entre as fumadoras, desejo por coito e desejo sexual em geral associaram-se a menor grau de dependência pela nicotina. Em geral, os resultados confluem com o grande número de estudos que falham em demonstrar associações entre tabagismo e dificuldades sexuais femininas. Razões para tal e indicações para investigação futura são discutidas.
Smoking is a risk factor for erectile dysfunction, but research on smoking and female sexual difficulties have yielded many null findings. Other line of investigation shows that frequency of, and orgasm ability from, penile-vaginal intercourse (PVI) are the sexual behaviors most consistently associated with better sexual function. However, the majority of studies on smoking and female sexual function did not differentiate sexual behaviors. The aim of the present study was to examine in a convenience sample of 145 Portuguese women if smoking was related to sexual difficulties either specifying or not if they occurred during PVI. It was also examined if the degree of nicotine dependence was associated with sexual difficulties. Instruments included a Portuguese version of the Female Sexual Function Index (FSFI), which has six dimensions (desire, arousal, lubrication, orgasm, satisfaction, and pain) and a questionnaire based on the FSFI, which specified the sexual functioning during PVI. Nicotine dependence was assessed by a Portuguese version of the Fagestrom Test for Nicotine Dependence. Both in the subgroup with PVI in the past month and in the subgroup with any sexual activity in the same period, smoking was not associated with worse sexual function. However, among the smokers, degree of nicotine dependence was related to lesser sexual desire for PVI and lesser sexual desire in general. Taken together, the results are consistent with a great number of studies that fail to demonstrate associations between smoking and female sexual difficulties. Reasons for such findings and indications for future research are discussed.
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/2584
Aparece nas colecções:PBIO - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
21114.pdf252,71 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.