Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/2583
Título: Diferenças de género nas representações de vinculação e no conhecimento emocional em crianças de idade pré-escolar
Autor: Marques, Ines Lemos Bravo
Orientador: Santos, António José
Palavras-chave: Desenvolvimento emocional e sócio-cognitivo
Vinculação
Afectos
Género
Modelos internos dinâmicos
Conhecimento emocional
Emotional and socio-cognitive development
Attachment Story Completion Task
Attachment
Affects
Gender
Internal Working Models
Emotional cognition
Data de Defesa: 2013
Editora: ISPA -Instituto Universitário
Resumo: Com o intuito de identificar o peso da qualidade da vinculação no desenvolvimento emocional e sócio-cognitivo de crianças de idade pré-escolar, foi aplicada a metodologia Attachment Story Completion Task (ASCT, Bretherton, Ridgeway & Cassidy, 1990) a uma amostra de 72 crianças de idade pré-escolar. Colocou-se a hipótese de haver variações de género durante o desempenho desta tarefa. Assim, especula-se que quanto melhor a qualidade da vinculação melhor a apropriação e gestão de afectos face a determinados contextos sociais podendo haver especificidades de género no modo como essa apropriação é feita. Espera-se ainda que crianças com Modelos Internos Dinâmicos seguros apresentem melhor conhecimento emocional do que aquelas que tiverem Modelos Internos Dinâmicos inseguros, podendo também ser detectadas subtilezas de género no modo como demonstram esse mesmo conhecimento. Houve uma correlação significativa entre a escala de Coerência e de Segurança nas histórias durante o ASCT. Os resultados do presente trabalho demonstraram que não há diferenças significativas de género a nível da escala de Coerência e de Segurança durante a concretização das tarefas do ASCT. Também se constata que crianças com um vínculo seguro vivem relações mais calorosas com os seus cuidadores e discutem as emoções de forma aberta e apropriada, o que permite que exibam melhor conhecimento e expressão emocionais.
The objective of this study was to evaluate how the quality of attachment can influence emotional and socio-cognitive development. The Attachment Story Completion Task (ASCT, Bretherton, Ridgeway & Cassidy, 1990) was applied to 72 preschool children. The hypothesis was that there may be gender differences during the concretization of this task, favouring girls in the elaboration of complex speech whereas boys would emphasize assertive solutions to the emotional conflicts in the stories. So, quality of attachment is related to better consolidation of affects and its manifestations under certain social circumstances. There may be differences of gender in these phenomena. It is expected that children with secure Internal Working Models, will show increased emotional knowledge and that there are also differences of gender during the concretization of this task. There was a significant correlation between the security scale of and the scale of Coherence of the stories. Children with secure Internal Working Models showed a successful resolution of the conflicts during the ASCT, whereas children with more unsecure Internal Working Models told inappropriate stories or showed bizarre scenarios during this task. The results of the present work didn’t show any differences of gender during the concretization of the tasks inherent to the ASCT, namely in the scale of Safety and of Coherence. It is also confirmed that children with a secure attachment, experience a warmer relationship with their caregivers, and can talk appropriately about their emotions in certain contexts, which allows them to show a better knowledge and a correct expression about emotions.
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/2583
Aparece nas colecções:PBIO - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
20141.pdf500,42 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.