Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/2283
Título: A comunicação da família, enquanto fator de (des)construção da vivência e conceito de sobrevivência, do jovem adulto sobrevivente a um cancro
Autor: Caleiras, Maria Luísa Bravo Madeira
Palavras-chave: Sobreviventes de cancro
Jovem adulto
Família
Comunicação não-verbal e verbal
Cancer survivors
Young adult
Family
Verbal and non-verbal communication
Data de Defesa: 2012
Editora: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Resumo: Nos últimos anos os avanços e a compreensão da etiologia e tratamento do cancro contribuíram para o aumento dos sobreviventes. O cancro, para além de ser uma doença potencialmente mortal, passou a ser também considerado como uma doença crónica, sendo a sobrevivência entendida como um período longo que não é isento de situações potencialmente ameaçadoras e que é concebida pela forma como o doente e o sistema familiar comunicam entre si. O presente estudo tem como objetivo conhecer e compreender, segundo uma abordagem qualitativa e uma orientação teórica sistémica, a vivência subjetiva dos sobreviventes de cancro e as perceções que estes possuem acerca do modo como a comunicação com os seus familiares, condiciona o conceito que têm de sobreviventes. Participaram neste estudo 3 sobreviventes de cancro, entre os 25 e os 29 anos. Em relação aos resultados obtidos, constata-se que o conceito de sobrevivência, que os participantes possuem, é idêntico ao dos seus familiares, o qual foi percecionado pelos mesmos como sendo resultante da influência do comportamento e da comunicação não-verbal e verbal dos seus familiares. Os resultados revelam a importância a ser dada à comunicação com os jovens adultos durante o processo de doença e o período de sobrevivência, os quais devem ser considerados como futuras pistas de intervenção. ------ ABSTRACT ------ In the past few years the advances and understanding of etiology and cancer treatment have contributed to the increasing number of survivors. In addition to be considered a potentially fatal disease, cancer also started to be seen as a chronic disease and survival understood as a long period that is not without potentially threatening situations and that is conceived by the way how the patient and the family system communicate among themselves. The present study aims to know and understand, according to a qualitative approach and a theoretical systemic orientation, the subjective experience of cancer survivors and their perceptions of how they communicate with their families, affects the concept they have of survivors. Three cancer survivors participated in this study, aged between 25 and 29. Regarding the results obtained, one can see that the concept of survival that the participants have is identical to their families’, which was perceived by them as a result of the influence of behaviour and verbal and non-verbal communication of their families. The results reveal the importance of communication with young adults during the disease process and the survival period, which should be considered as points for future procedures.
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/2283
Aparece nas colecções:PCLI - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
14913.pdf1,04 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.