Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/2259
Título: A pessoa reclusa em contexto prisional: Agressividade, sintomas psicopatológicos e apoio social
Autor: Gomes, Sofia
Palavras-chave: Agressividade
Prisão
Reclusos
Violência
Delinquência
Rede social
Apoio social
Agressão
Aggression
Prison
Prisoners
Violence
Delinquency
Social network
Social support
Anger
Data de Defesa: 2012
Editora: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Resumo: Neste estudo tenta-se averiguar relação entre a agressividade, os sintomas psicopatológicos e o apoio social da pessoa reclusa, em contexto prisional. A adaptação ao meio prisional é um processo complexo a nível psicológico, a pessoa reclusa está continuamente sujeita ao controle espacial e temporal, às regras e rotina prisional, tendo também de aceitar normas e valores do sistema e subcultura carcerária, como estratégia de sobrevivência. Existem diversos tipos de sintomas psicopatológicos na pessoa reclusa, por vezes associados ao consumo de estupefacientes, falta de controlo da agressividade e de liberdade. Os comportamentos agressivos podem surgir como uma forma de defesa ou estratégias de sobrevivência, constituindo para esta população respostas habituais face aos obstáculos impostos pelo meio. Neste contexto, o apoio social é de grande importância, no sentido da satisfação de necessidades humanas básicas, não apenas a nível psicológico, como também económico (precisa-se de dinheiro na prisão para comprar produtos higiénicos, alguma comida extra e poder negociar produtos com os companheiros). Parece-nos importante compreender os fatores associados a comportamentos de agressividade, nomeadamente a sintomatologia psicopatológica, assim como verificar a qualidade do apoio social recebido, de forma a refletir sobre intervenções ou tratamentos psicológicos em contexto prisional, que possam corresponder às necessidades de desenvolvimento e integração social das pessoas reclusas. ------ ABSTRACT ------ This study aims to assess the relationship between aggressiveness, psychopathological symptoms and social support from a person imprisoned. The adaptation to prison environment is psychologically complex; the prisoner is continuously subjected to spatial and temporal control, to rules and to a strict prison routine, whilst having to accept the norms and values of the system and prison subculture, as a survival strategy. There are various types of psychopathological symptoms in prisoners, sometimes associated with drug use, lack of anger management and lack of freedom. These aggressive behaviours may emerge, as a normal response, due to the constraints imposed, as a form of defence or survival strategy. In this context, social support is of great importance towards the satisfaction of basic human needs, not only psychologically but also economically (one needs money in prison to buy sanitary products, any extra food and to negotiate with the companions). It is important to understand the factors associated with aggressive behaviours, including psychopathological symptoms, as well as to analyse the quality of the social support received, for psychological interventions or treatments used during incarceration, in order to accurately assess the needs of development and social integration of inmates.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/2259
Aparece nas colecções:PCLI - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
13061.pdf4,5 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.