Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/2225
Título: Abordagem socio-económica das organizaqóes
Autor: Teixeira, Cláudio
Data: 1988
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Citação: Análise Psicológica, 6 (3/4), 459-473
Resumo: O presente artigo relaciona contrastivamente «cultura tecnológica» e «cultura organizacional» argumentando, a propósito das Novas Tecnologias (N. T.), que as questões e soluções «relevantes» são vantajosamente formuláveis em termos organizacionais e não em termos tecnológicos. As questões da sociedade pós-industrial, informacional ou «comunitária», na medida em que com o taylorismo se interligam e, por vezes, com ele se confundem, são objecto de discussão. A representação dominante e a prática corrente vêem na introdução das N.T. um meio eficaz para substituir o trabalho tradicional por «máquinas» capazes de poupar tempo, obter maior eficiência e reduzir custos. Neste sentido, a automatização apresenta-se como a tecnologia disponível mais avançada que permite realizar, ao nível do terceário, o velho sonho de Taylor. A mudança técnica não articulada com a mudança organizacional é um logro. A excelência organizacional - de que o caso japonês é ilustrativo - é explicável - argumentamos - em termos de cultura organizacional, que não tecnológica, entendida esta de forma exclusiva e restritiva. ------ ABSTRACT ------- This paper is concerned with «technological culture» and «organizationa1 culture» and argues that the relevants questions and answers concerning «New Technologies » (NT) are better described in terms of organization than in terms of technology. We discuss the problems of the «communal» informational or post-industrial society, as far as they are concerned or confounded with Taylorism. The introdution of N.T. is seen by the dominating representation and comrnon practices as an effective means of saving time an costs. Therefore automation is presented as the most advanced os available technologies and able to achieve (at the tertiary level) the old dream of Taylor. Technological change without organizational change is misleading. Organizational excellency - as for instance in Japan - can, we think, be explained in terms of organizational culture rather than in terms os technological culture, when this seen in a exclusive and restrictive way.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/2225
ISSN: 0870-8231
Aparece nas colecções:PORG - Artigos em revistas nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
1988_34_459.pdf1,25 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.