Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/2204
Título: O auto-conceito
Autor: Serra, Adriano Supardo Vaz
Data: 1988
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Citação: Análise Psicológica, 6 (2), 101-110
Resumo: O auto-conceito pode ser definido como a percepção que o indivíduo tem de si próprio e o conceito que, devido a isso, forma de si. É um constructo que ajuda a compreender aspectos importantes do comportamento humano, como a uniformidade, a consciência e a coerência da conduta observável, a noção de identidade e a manutenção de certos estereótipos de acção na continuidade do tempo. O auto-conceito pode ser classificado em diversos tipos, como os auto-conceitos académico, emocional, social ou físico. Cada qual liga-se a aspectos diferentes do comportamento humano. Entre os constituintes intrínsecos do autoconceito realça-se a auto-estima. Esta deriva dos processos de avaliação que o indivíduo faz das suas qualidades, desempenhos ou virtudes. Ocupa, por isso, um lugar proeminente na compreensão e na explicação dos transtornos emocionais. O auto-conceito desempenha, assim, um papel significativo em diversos contextos, particularmente na prática clínica. Encontra- se intimamente relacionado não só com outros conceitos psicológicos relevantes, como com numerosos fenómenos de natureza psicopatológica. No presente artigo é dada uma noção destes aspectos, bem como de algumas tentativas, dispersas pela literatua, para melhorar o autoconceito do indivíduo.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/2204
ISSN: 0870-8231
Aparece nas colecções:PDES - Artigos em revistas nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
1988_2_101.pdf794,13 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.