Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/1639
Título: The mind needs the heart : the mood-as-regulation-mechanism hypothesis as an explanation for the impact of mood on processing
Autor: Garcia-Marques, Teresa
Orientador: Mackie, Diane M.
Data de Defesa: 1998
Editora: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, Universidade de Lisboa
Resumo: As a rule, happy people do not engage in deep, systematic, and analytic processing of information. Converging evidence from different fields instead suggests that happy people process information in many different domains heuristically, paying less attention to particular details of the situation, and relying more on established knowledge. Social psychologists have offered several alternative explanations for this phenomenon. Unfortunately empirical evidence has been mixed and inconclusive with regard to which model best accounts for the effect. This dissertation offered a new explanation for the mood information processing effect, the mood-as-regulation-mechanism hypothesis, which states that: positive affect (e.g., positive mood). is an integral aspect of the implicit feeling of familiarity, which triggers non-analytic processing because it signals the appropriateness of using previously stored information to deal with the current situation. Evidence for assuming not only that such a feeling is the mechanism that regulates processing by also that mood effects are grounded in it, is provided from both the cognitive and social cognition literature. Those approaches in the literature that view information processing as dualistic suggest the need for a processing regulation mechanism. Some models suggest that this mechanism is a feeling (a feeling of familiarity). The idea that this feeling of familiarity has a positive tone, also grounded in the literature, suggests that the experience of positive affect is an integral part of familiarity. Results of four studies corroborated the mood-as-regulation-mechanism hypothesis. Manipulations of the implicit feeling of familiarity induced positive mood (Experiment 1) and manipulations of positive affect had an effect typically associated with familiarity (Experiment 2). In addition, two independent studies suggested that familiarity impacts processing in a way that fully parallels the impact of mood on processing (Experiments 3 and 4). Together, the results of the four studies offered consistent support for the mood-as-regulation-mechanism hypothesis. ------ RESUMO ------ Regra geral, as pessoas quando bem-humoradas, não processam a informação de uma forma profunda, sistemática e analítica. Dados convergentes de diversos campos da Psicologia, sugerem que as pessoas quando bem-humoradas processam a informação de forma heurística, prestando menos atenção a detalhes particulares da situação e baseando-se mais em conhecimento previamente adquirido. Os psicólogos sociais têm vindo a desenvolver diversas explicações alternativas para este fenómeno. A evidência empírica tem, porém, sido contraditória e inconclusiva na identificação do modelo explicativo mais adequado. Nesta dissertação é apresentada uma nova explicação para o efeito do humor (estado de espírito) no processamento da informação; a hipótese do humor-como-mecanismo-regulador. Esta hipótese parte da ideia de que um sentimento positivo (por ex., o bom humor) faz parte integrante do sentimento implícito de familiaridade. Ora, é este último sentimento que faz desencadear um modo não-analítico de processamento, ao indicar que a informação previamente adquirida é suficiente para lidar com a situação. Evidência, para a noção de que um tal sentimento é o mecanismo que regula o processamento e para a hipótese de que os efeitos do humor lhe estão associados, pode ser encontrada na literatura quer da Psicologia Cognitiva, quer da Cognição Social. Tais abordagens, ao conceberem o processamento de informação como dualista sugerem a necessidade de um mecanismo de regulação do processamento. Alguns modelos sugerem que este mecanismo é um sentimento (um sentimento de familiaridade). A ideia de que o sentimento de familiaridade tem uma tonalidade positiva, igualmente referida na literatura, sugere que um sentimento positivo é parte integrante do sentimento de familiaridade. Os resultados de quatro estudos corroboram a hipótese do humor-como-mecanismo-regulador-do-processamento de informação. Manipulações do sentimento implícito de familiaridade induziram bom humor (Experimento I) e manipulações de bom humor tiveram efeitos tipicamente associados com familiaridade (Experimento II). Dois outros estudos sugerem que os efeitos da familiaridade no processamento são idênticos aos efeitos do humor no processamento (Experimentos III e IV). No seu conjunto, os resultados destes quatro estudos corroboram a hipótese do humor-como-regulador-do-processamento-de-informação.
Descrição: Tese de Doutoramento apresentada à Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, Universidade de Lisboa
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/1639
Aparece nas colecções:PCOG - Tese de doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TES GARC T1.pdf141,01 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.