Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/1560
Título: Burnout em dentistas do serviço público: Ter ou não ter, eis a questão!
Autor: Campos, Juliana Alvares Duarte Bonini
Trotta, Odete Sinhoreli Thereziano
Bonafé, Fernanda Salloumé Sampaio
Maroco, João
Palavras-chave: Esgotamento profissional
Odontologia
Saúde pública
Burnout professional
Dentistry
Public health
Data: 2010
Editora: Universidade Estadual Paulista
Citação: Revista de Odontologia da UNESP, 39 82), 109-114
Resumo: Objetivo: estimar a prevalência da Síndrome de Burnout em dentistas do serviço público do município de Araraquara - SP e sua associação com variáveis de interesse. Material e método: A amostra foi constituída por profissionais atuantes na rede pública (n = 60). Foram levantadas informações sociodemográficas. Utilizou-se o Inventário de Burnout de Oldenburg (OLBI). Resultado: Dos participantes, 60,0% eram do gênero feminino e a média de idade era 41,9 ± 7,6 anos. Grande parte dos profissionais apresentou percepção regular das condições de trabalho, instalações, materiais e equipamentos. Dos indivíduos, 63,3% sentem-se cansados antes mesmo de chegar ao trabalho; 58,3% precisam de mais tempo para relaxar e sentir-se melhor; 70,0% não conseguem suportar bem as pressões do trabalho; 50,0% não se sentem com energia durante ou após o trabalho, e 86,7% não consideram o trabalho um desafio positivo. Dos profissionais, 48,3% apresentaram a Síndrome de Burnout, 11,7% Distanciamento e 13,3% Exaustão. Conclusão: Verificou-se que a prevalência da Síndrome de Burnout entre os dentistas é alta. Há associação significativa entre Burnout e gênero (p = 0,020) e instalações de trabalho (p = 0,011), sendo mais acometidos os homens e aqueles que consideram as instalações de trabalho ruins. ------ ABSTRACT ------- Objective: the objective of this study was to estimate the prevalence of Burnout Syndrome in dentists in the public service in the city of Araraquara – SP and its association with the variables of interest. Material and method: The sample was made up of the dentists active in the public health network (n = 60). Socio-demographic data was collected. The Oldenburg Burnout Inventory (OLBI) was used. Result: Of the participants, 60.0% were female and the average age was 41.9 ± 7.6 years. A large number of the professionals displayed a normal perception of the work conditions, premises, materials and equipment. 63.3% of the individuals feel tired even before arriving for work, 58.3% need more time to relax and to feel better, 70.0% are unable to deal well with the pressures of work, 50.0% feel they have no energy during or after work and 86.7% do not consider the work to be a positive challenge. It was observed that 48.3% of dentists displayed Burnout Syndrome, 11.7% Detachment and 13.3% Exhaustion. There was a significant association between the presence of Burnout and gender (p = 0.020) and the work premises (p = 0.011), with men being the most affected and those that considered the work premises very poor. Conclusion: It was concluded that the prevalence of Burnout Syndrome among dentists is high, with men and those who consider the work premises bad being the most affected.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/1560
ISSN: 0101-1774
Aparece nas colecções:PSAU - Artigos em revistas internacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ROUNESP 39(2) 109-114.pdf152,25 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.