Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.12/1279
Título: Representação de família em crianças que vivem em família e em crianças institucionalizadas
Autor: Guerreiro, Marisa S. A. Rocha
Palavras-chave: Psicologia educacional
Família
Institucionalização
Representação social
Desenvolvimento
Desenvolvimento infantil
Atitudes parentais
Educational psychology
Family
Institutionalization
Social representation
Development
Child development
Parental attitudes
Data de Defesa: 2007
Editora: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Resumo: O presente trabalho tem como objectivo principal estudar a representação de família em crianças que vivem em família e em crianças institucionalizadas. Assim, propomo-nos verificar se existem diferenças significativas na representação de família entre as crianças que vivem numa família tradicional e as institucionalizadas e também se existem diferenças significativas entre as crianças que vivem em instituições desde os três anos e as que vivem em instituições após contacto familiar (famílias de risco). Procedeu-se a uma revisão da literatura, realizando-se uma abordagem histórica das representações sociais, das suas características, da sua estrutura e das suas funções. Também foram abordados vários temas na área da Família: a sua importância e influência no desenvolvimento cognitivo, emocional e social e os problemas que a ausência familiar pode causar na vida das crianças. Neste estudo exploratório, em termos de metodologia, utilizámos a entrevista semi-estruturada para a recolha dos dados. Realizámos as entrevistas a trinta e nove crianças: treze crianças que vivem em instituições desde os três anos; treze crianças institucionalizadas após contacto familiar e treze crianças que vivem com a família. Posteriormente, as entrevistas foram sujeitas a uma análise de conteúdo. Concluiu-se que apesar de existirem algumas diferenças significativas nos temas: definição de família, definição de pai e definição de mãe, de um modo geral, as crianças dos diferentes grupos não diferem de forma muito significativa na sua representação de família. Os grupos em estudo consideram que a família é muito importante e que nesta devem existir laços de afectividade, de união e apoio, apresentando características diferentes ao nível da afectividade, da educação e das condições de vida.
Descrição: Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional
URI: http://hdl.handle.net/10400.12/1279
Aparece nas colecções:PEDU - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM GUER-MS1.pdf5,64 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.